GracieMag - Sensō Jiu Jitsu

GracieMag

Grandes heróis que nos inspiram: Dan Henderson, o campeão de quase tudo September 18 2017

Dan Henderson, em foto de Erik Fontanez/GRACIEMAG.

Dan Henderson, em foto de Erik Fontanez/GRACIEMAG.

Após disputar 47 lutas de MMA em 46 anos de vida, Dan pode ser apontado como o mais valente dos lutadores modernos; afinal, ninguém enfrentou tantos ícones do esporte de maneira tão destemida.

Já vimos muitos atletas gabarem-se de que lutam contra qualquer oponente, mas, depois… São tantas exigências e tantos empecilhos criados que acabam por jamais encaram seus adversários mais perigosos.

E hoje a situação piorou: temos campeões recém-empossados escolhendo lutas e preferindo “money fights” (lutas mais rentáveis e sem tanto mérito esportivo) a defenderem seus cinturões contra desafiantes mais bem ranqueados. Por isso digo, sem pestanejar, que não se fazem mais lutadores como o velho Hendo.

Daniel Jeffery Henderson nunca recusou uma luta, nunca arrumou desculpas. Enfrentou quase todos os grandes lutadores de sua era, em diferentes categorias de peso. Casos de Rodrigo Minotauro, Daniel Cormier, Vitor Belfort, Rich Franklin, Wanderlei Silva, Yuki Kondo, Maurício Shogun, Quinton Jackson, Lyoto Machida, Ricardo Arona, Renato Babalu, Gerard Mousasi, Murilo Bustamante, Rashad Evans, Michael Bisping, Renzo Gracie e Rogério Minotouro, para ficar em apenas alguns. Sempre sério, discreto e profissional, nem os maiores lutadores de MMA de todos os tempos lhe intimidavam – pelo contrário: Henderson duelou contra Anderson Silva (no UFC 82) e derrubou o Último Imperador Fedor Emelianenko (no StrikeForce: Fedor vs Henderson).

Mas a passagem dos anos e as sequelas das batalhas começaram a cobrar seu preço. Não estou falando da perda dos dentes ou dos cabelos, medos que afligem muitos homens. O americano já não contava com isso há muitos anos. (Ele quebrou os dentes da frente ainda na época em que era um wrestler olímpico, enquanto possuía “clareiras avançadas” na cabeça desde os 30 e poucos anos).

Seu estilo de luta era baseado na combinação de três fatores: mãos pesadas, boas quedas e um queixo extremamente duro. Com a idade, o vigor já não era o mesmo e não havia fôlego para derrubar constantemente os adversários. O queixo, que havia permanecido por 39 lutas sem sofrer um nocaute, não se recuperou totalmente das mãos de Vitor Belfort em 2013 e passou a falhar.

A única coisa que permaneceu imutável foi a notória “bomba H”, o mais mortal soco de direita já visto no esporte. Uma arma poderosíssima, permanentemente engatilhada e que podia apagar qualquer oponente com um único disparo certeiro. Por mais que a “bomba H” continuasse sendo sua companheira perigosa e inseparável, Hendo passou a depender exclusivamente dela. Era sua muleta, seu cão guia. O tempo estava reduzindo Dan Henderson a um lutador unidimensional.

Daí veio a sequência de seis derrotas em suas últimas nove lutas. Tudo bem que as três vitórias foram nocautes espetaculares, mas todos se perguntavam até onde o “vovô” Henderson iria. Após ser campeão do Grand Prix do UFC 17, do torneio Rings, das categorias até 84kg e 93kg do Pride (simultaneamente!) e do StrikeForce na divisão meio-pesado, só lhe faltava mesmo o cinturão do UFC. Contudo, essa hipótese parecia cada vez mais improvável.

Eis que, numa inimaginável combinação de sorte, oportunidade e marketing, Michael Bisping virou campeão e – estimulado pelo apelo dos fãs e pela vontade de se vingar da derrota mais humilhante de sua carreira (o nocaute acachapante sofrido no UFC 100) – o inglês passou a pedir para enfrentar Henderson em sua primeira defesa de cinturão.

E então, no UFC 204, em 8 de outubro de 2016, Dan Henderson pisou no octógono da Manchester Arena para disputar sua derradeira batalha, uma última luta após 20 anos de carreira, e pelo título que ainda não tinha.

Li alguns críticos e ouvi muitos amigos dizendo que “os tempos eram outros”, que “o raio não cairia duas vezes no mesmo lugar” e diversos clichês para menosprezar as chances de Henderson vencer essa luta. Racionalmente, eles até podiam ter razão quanto ao favoritismo de Bisping. Mas, no momento em que a “bomba H” atingiu o queixo de Bisping e o levou o britânico a knockdown ainda no primeiro round, não houve um cético que não tenha se levantado da cadeira para torcer alucinadamente pelo “vovô”.

Bisping sobreviveu ao duro castigo e voltou melhor para o round seguinte. E não é que, faltando alguns segundos para o final da etapa, Dan acertou outra pancada de direita e o campeão desabou de novo? Nesse momento, todas as frias certezas se esvaíam e se transformavam na emocional esperança de consagração do veterano combatente.

O cansaço, naturalmente, veio para o senhor de 46 anos de idade e o campeão mais jovem, ainda que muito ferido, passou a ter maior volume de jogo. A partir daí, seguiram-se três rounds em que Bisping acertava mais golpes, porém o americano era mais contundente e perigoso. Uma verdadeira guerra de 25 minutos que levava seus protagonistas à exaustão.

Ainda assim, a poucos segundos do fim de sua longa jornada profissional, Hendo inesperadamente se joga no octógono numa improvisada cambalhota. Depois de tantos anos, de tantos golpes, de tanta seriedade, o velho lutador se permitiu, enfim, um momento de descontração e comemoração antes do soar do gongo. Independentemente da decisão dos jurados, partiria do MMA com mais um grande combate, o último momento de aclamação.

Os jurados decidiram pela vitória do campeão Michael Bisping. Vendo o rosto ileso de Hendo e a face desfigurada de Bisping naquele momento, você poderia pensar que os julgadores estavam loucos. Todavia, não estamos falando de uma briga no pátio, em que perde quem sai com “a lataria mais amassada”. No UFC a pontuação é feita round a round, e tivemos três deles muito equilibrados e difíceis de pontuar. Não se pode dizer que foi uma decisão absurda, mas trouxe uma grande frustração para quem viu Hendo lutando suficientemente bem para garantir o cinturão que lhe faltava.

A verdade é que, diante de uma carreira tão bela, essa decisão controversa não tem tanta importância. Pior para o UFC, que não vai ter Dan Henderson em sua galeria de campeões, mas vai ter Bisping, Johny Hendricks e outros menos votados.

Enquanto isso, Daniel Jeffery Henderson caminha sereno rumo ao Valhalla, paraíso viking onde só é permitida a entrada dos guerreiros que deixam suas vidas anteriores após batalhas gloriosas.


Fedor Emelianenko e a repercussão de sua derrota no Bellator NYC June 26 2017

Fedor após o nocaute que levou de Matt Mitrione no Bellator NYC. Foto: Lucas Noonan/Bellator

Considerado um dos maiores pesos pesados de todos os tempos, o “Ultimo Imperador” Fedor Emelianenko pode estar com seus dias contados no MMA. Ex-campeão do Pride e lenda do esporte, o russo de 40 anos divide as opiniões de fãs e especialistas do assunto após sua mais recente batalha nos cages, durante o Bellator 180, realizado em Nova York, no último sábado.

Fedor encarou Matt Mitrione no duelo de pesados, e acabou por sucumbir em um nocaute aplicado ainda no primeiro assalto, após receber um knockdown proveniente de um ataque duplo, no qual os dois atletas foram ao solo. Com recuperação mais veloz, Mitrione partiu para cima de Fedor, ainda no solo e desferiu golpes para liquidar a fatura.

O debate foi geral. Por mais que um nocaute rápido não seja algo a se criticar, ainda mais na categoria de pesos pesados, votos de aposentadoria e análises da rapidez de recuperação de Fedor borbulharam. O ex-UFC Pedro Rizzo, que comentou a disputa na Fox Sports, relembrou que o nocaute nada mais é do que um sistema de segurança do cérebro, que a cada vez que é acionado se torna mais sensível, sempre na intenção de desligar-se para preservar sua integridade interna.

Nas redes sociais não foi diferente. No Instagram de GRACIEMAG, por exemplo, o professor Roberto Gordo deu seu parecer:

“Feio ver o Fedor assim. E pensar que foi o melhor peso pesado por muito tempo! Sem Jiu-Jitsu, só resta mesmo a força, e essa acaba rápido com a idade.”

Fedor, por sua vez, dispensou qualquer plano de aposentadoria. Após o duelo, durante a entrevista coletiva, o russo carne de pescoço fez questão de frisar que é um lutador, que não irá pendurar as luvas e que gostaria de fazer uma revanche contra Mitrione.

E para você, amigo leitor, Fedor deve continuar sua caminhada no MMA? Comente conosco!


Rafa Mendes: “Minha carreira de competidor se encerra, mas meu legado no Jiu-Jitsu é para sempre” May 22 2017

Rafael Mendes em uma de suas vitórias sobre Rubens Cobrinha. Foto: Ivan Trindade/GRACIEMAG

Aos 27 anos e muitas conquistas no Jiu-Jitsu, o astro da AOJ Rafael Mendes informou que está encerrada sua carreira como competidor. Às vésperas do Mundial de Jiu-Jitsu, que acontece no início de junho, e a proximidade do fim das inscrições para o torneio, a procura pelo nome de Rafa Mendes na lista atiçou a curiosidade do mundo do Jiu-Jitsu, e o próprio Rafael veio a público com o comunicado.

Em vídeo produzido pelo seu patrocinador, a fera relembra suas conquistas no Jiu-Jitsu, com seis títulos mundias na faixa-preta, duas conquistas no ADCC e outros feitos nas faixas coloridas, e deixa claro que seu foco agora será sua academia e a atenção à família.

“Construí meu legado com trabalho duro e integridade. Minha carreira como competidor se encerra agora, mas meu legado viverá para sempre”, diz Rafa no vídeo.

Confira abaixo e poste nos comentários o que você acha da aposentadoria da fera!


Dana White recusa título interino a Anderson Silva e diz: “Se você fala em aposentadoria, se aposente” May 06 2017

Dana White comentou o pedido de Anderson Silva em entrevista. Foto: Carlos Arthur/GRACIEMAG

Ex-campeão peso médio do UFC e ídolo brasileiro, Anderson Silva se cansou de esperar por um novo adversário para o UFC Rio, marcado para o dia 3 de junho. Na intenção de acelerar o processo, Anderson declarou, em entrevista ao The MMA Hour, seu descontentamento, pediu um título interino contra Yoel Romero e ameaçou se aposentar.

A cartada de Anderson poderia surtir rápido efeito, como o leitor pode facilmente se lembrar de outros casos nos quais atletas fizeram requisições pela internet e foram atendidos. Mas desta vez não funcionou muito bem. Ao saber da declaração, Dana White, manda-chuva do Ultimate, deixou claro que o pedido de Anderson estava além do que ele pode conseguir.

Em entrevista ao site americano TMZ, Dana cravou que não dará o título interino a Anderson, pelo simples fato de que Michael Bisping, por mais que esteja com luta marcada contra Georges St-Pierre, vive em boa forma física, e encontra-se apto a encarar o primeiro do ranking nos médios. Para completar, o presidente exclamou:

“Minha filosofia é a seguinte: Se você fala em aposentadoria, você deve se aposentar de um jeito ou de outro”, disparou.

E para você, amigo leitor, qual seria a melhor saída para a “sinuca de bico” na qual Anderson Silva se encontra no UFC? Comente conosco!


Vitor Belfort faz última luta do contrato no UFC 212, no Rio de Janeiro May 02 2017

Banner oficial do UFC que confirma a disputa. Foto: Reprodução

Após 20 anos de uma brilhante carreira no MMA, o ídolo brasileiro do esporte Vitor Belfort tem data e local marcados para fazer sua despedida dos cages.

Para atender o desejo de um dos seus funcionários mais antigos, o Ultimate anunciou nessa segunda-feira, dia 1, que Belfort terá seu último duelo do contrato contra Nate Marquerdt, no UFC 212, na cidade natal do Fenômeno, o Rio de Janeiro.

Vitor revelou seu desejo de se despedir do octógono no evento no Rio logo assim que amargou sua derrota em Fortaleza, para Kelvin Gastelum. Anderson Silva havia sido ofertado ao Fenômeno, mas a intenção da fera era encarar um estrangeiro e não dividir a torcida, para que a festa seja completa.

Vitor (25v, 14d), vem de três derrotas seguidas no UFC, para Ronaldo Jacaré, Gegard Mousasi e Gastelum, respectivamente. Marquardt (35v, 17d, 2e), por sua vez, vem de duas derrotas em três lutas, a mais recente com revés para Sam Alvey.

E para você, amigo leitor, Belfort tem o necessário para terminar a carreira com festa no UFC Rio? Comente conosco!


Prata no Europeu, Lúcio Largarto se aposenta do adulto no Jiu-Jitsu January 23 2017

Lúcio Lagarto em ação na final do Europeu 2017. Foto: Max Rose-Fyne

Aos 36 anos, após longa jornada nas competições da IBJJF, Lúcio Lagarto fecha um ciclo no Jiu-Jitsu. O anúncio veio silencioso, após conquistar a prata no Europeu de 2017, no último domingo, dia 22. Joelhos no tatame, faixa-preta estendida à sua frente e uma reverência. Assim, Lagarto dizia que encerrava sua participação como adulto nos torneios de Jiu-Jitsu.

O torneio em 2017 lhe reservou a prata, após final contra Mahamed Aly. Contudo, o caminho da fera foi proveitoso durante a carreira. Nos Europeus, por exemplo, Lagarto tem no currículo a conquista de peso e e absoluto na primeira edição do evento, em 2004, seu primeiro ano como faixa-preta. Com quatro títulos no torneio, o mais recente veio em 2015, porém o mais especial certamente foi o de 2011, após vencer a maior de suas batalhas.

Lagarto foi diagnosticado com câncer em 2007, e lhe foi dito que o mesmo não poderia mais praticar ou competir no Jiu-Jitsu. A fera nadou contra a corrente, se recuperou e em 2011 foi campeão superpesado no Europeu, ao bater o campeão mundial Rafael Lovato na final.

Por essas e outras, o querido Lagarto deixa seu posto no adulto com a certeza de missão cumprida. Relembre abaixo a conquista de Lagarto em 2011 e deixe nos comentários a sua mensagem para o professor da Gracie Barra.


Vídeo: Tito Ortiz usa o Jiu-Jitsu e finaliza Chael Sonnen no estrangulamento January 21 2017

Mais aguardada luta do Bellator 170, realizado neste sábado, dia 21, Tito Ortiz x Chael Sonnen prometeu e cumpriu. O combate, apimentado após semanas de provocações de ambos os atletas, foi definido rapidamente, da maneira que o fã de Jiu-Jitsu mais gosta.

Logo nos primeiros minutos, Chael Sonnen foi para cima, sem respeitar o ex-campeão do UFC. Ortiz tentou a queda, mas acabou na guilhotina de Sonnen. Após defender o golpe, Tito montou e trabalhou por cima. Sonnen tentou raspar duas vezes, sem sucesso, e acabou por dar as costas.

Ortiz não perdeu a chance. Após botar os ganchos e fechar o cadeado pelas costas com as pernas, Ortiz passou o braço para finalizar no mata-leão. Chael defendeu o pescoço, mas o determinado Ortiz não quis saber de afrouxar o golpe, e no queixo apertou Chael mão com mão para ter os três tapinhas.

Após o duelo, Tito confirmou que esta seria sua despedida rumo à aposentadoria do MMA, aos 42 anos de idade.

Confira o lance no vídeo abaixo!


Vídeo: Veja o mata-leão de BJ Penn pelo cinturão e aqueça para o UFC de hoje January 15 2017

Geralmente reservado para os sábados, o UFC Pohenix chega neste domingo, dia 15, com uma luta principal especial para o fã de Jiu-Jitsu. Primeiro não-americano a conquistar um título no Mundial da IBJJF, dono de dois cinturões do UFC (meio-médios e leves) e integrante do Hall da Fama da organização, BJ Penn faz seu esperado retorno aos cages hoje, no primeiro UFC de 2017.

Em luta contra o jovem Yair Rodriguez, BJ Penn terá de usar toda sua precisão nos golpes em pé e habilidade no Jiu-Jitsu para tentar a vitória, após longo período longe dos cages.

E para aquecer o fã de luta para a disputa, relembramos no vídeo abaixo a segunda e histórica conquista de BJ no UFC. Depos de vencer Matt Hughes, conquistar o cinturão dos meio-médios e tempos depois perder a cinta, Bj desceu de categoria e enfrentou Joe Stevenson, pelo ainda novo título dos leves.

Com habilidade no solo e um estrangulamento para fechar a conta, BJ se colocou, na época, como segundo atleta do UFC a conquistar o topo do mundo em duas categorias distintas (feito antes alcançado apenas por Randy Couture).

Confira o duelo no vídeo abaixo!

UFC Phoenix
Phoenix, EUA
15 de janeiro de 2017

Yair Rodríguez x BJ Penn
Joe Lauzon x Marcin Held
Court McGee x Ben Saunders
John Moraga x Sergio Pettis

Card preliminar

Devin Powell x Drakkar Klose
Frankie Saenz x Augusto Tanquinho
Aleksei Oleinik x Viktor Pesta
Tony Martin x Alex White
Jocelyn Jones-Lybarger x Nina Ansaroff
Walt Harris x Chase Sherman
Bojan Mihajlovic x Joachim Christensen
Dmitry Smolyakov x Cyril Asker


Vídeo: A comemoração de Amanda Nunes nos bastidores do UFC 207 January 10 2017

Após bater Ronda Rousey no histórico UFC 207, último evento de 2016 realizado no dia 30 de dezembro, Amanda Nunes teve motivos de sobra para comemorar, e assim o fez.

“Acabou Ronda Rousey. Agora ela vai se aposentar”, cravou em tom extravasante após defender o seu título dos pesos-galos.

Confira as emoções dos bastidores do UFC 207 no vídeo abaixo!

UFC 207
Las Vegas, Nevada
30 de janeiro de 2016

Amanda Nunes venceu Ronda Rousey por nocaute técnico aos 48s do R1
Cody Garbrandt venceu Dominick Cruz na decisão unânime dos jurados
TJ Dillashaw venceu John Lineker na decisão unânime dos jurados
Dong Hyun Kim venceu Tarec Saffiedine na decisão dividida dos jurados
Ray Borg venceu Louis Smolka na decisão unânime dos jurados

Card preliminar

Neil Magny venceu Johny Hendricks na decisão unânime dos jurados
Antônio Carlos Júnior venceu Marvin Vettori na decisão unânime dos jurados
Alex Garcia nocauteou Mike Pyle aos 3min34s do R1
Niko Price finalizou Brandon Thatch no triângulo de mão aos 4min30s do R1
Alex Oliveira x Tim Means foi declarado no contest (joelhada ilegal)


UFC agenda BJ Penn contra Yair Rodrigues para card em janeiro November 22 2016

ladoEm mais uma tentativa de retornar após anunciar sua aposentadoria, BJ Penn tem nova data para pisar no octógono.

Campeão dos meio-médios e dos leves do UFC, além de ter no currículo o título de primeiro estrangeiro campeão mundial de Jiu-Jitsu na faixa-preta, Penn terá pela frente o jovem Yair Rodriguez, em card agendado para o dia 15 de janeiro, em Phoenix, no Arizona, EUA.

Penn (16v, 10d, 2e) tenta voltar à ativa após dois anos parado. Em seu último duelo, foi superado por Frankie Edgar e anunciou o pendurar das luvas. Após mudar de ideia, foi agendado para encarar Dennis Siver duas vezes, e após teve lutas agendadas contra Cole Miller e Ricardo Lamas. Nenhuma delas rolou.

Rodriguez (8v, 1d), por sua vez, foi campeão do primeiro “TUF Latin America”, e está embalado no UFC com seis vitórias seguidas, a última contra Alex Caceres.

Ainda no card, está confirmado o duelo peso-mosca entre o brasileiro Jussier Formiga contra o Sergio Pettis, irmão do ex-campeão dos leves Anthony Pettis.

E para você, amigo leitor, este retorno de BJ Penn vai sair do papel? Será que ele ainda tem “garrafas para vender”? Comente conosco!