GracieMag - Sensō Jiu Jitsu

GracieMag

Campeão de Jiu-Jitsu, Augusto Tanquinho vibra com estreia no Brasil pelo UFC August 30 2017

Campeão mundial na faixa-preta, fera do Jiu-Jitsu terá seu próximo desafio no Brasil. Foto: Zuffa LLC via Getty Images

Enquanto a grande maioria dos lutadores brasileiros sonham em se apresentar no exterior, Augusto Tanquinho vai na contramão. Carioca, o peso-galo fez todos os seus combates no cartel competindo nos Estados Unidos, onde vive e treina atualmente, mas chegou a tão aguardada oportunidade de lutar diante da família, amigos e fãs brasileiros. Tanquinho encara Boston Salmon no UFC São Paulo, dia 28 de outubro, no Ginásio do Ibirapuera, na capital paulista.

Há seis anos morando no Arizona, nos Estados Unidos, Tanquinho realizou todas as oito lutas de seu cartel profissional no MMA no país. Foram seis triunfos e apenas duas derrotas desde então. No Brasil, o atleta apenas disputou competições de Jiu-Jitsu e grappling, o que torna seu quarto combate no octógono do UFC ainda mais especial.

“Quando recebi o convite do UFC para lutar no Brasil, foi uma sensação muito boa. Lutar pelo evento no meu país será um sonho realizado. Estou muito animado, ainda mais por lutar contra um norte-americano. Já consigo imaginar a torcida cantando, fazendo um barulho enorme. Não terei que dividir a torcida com meu adversário, vou ter a galera toda ao meu lado”, comemora o carioca, aos risos.

De fato, o apoio da torcida brasileira será bem-vindo para Tanquinho. Em três combates pelo UFC, o lutador venceu Frankie Saenz no início deste ano, e amargou dois reveses na organização. O mais recente diante de Aljamain Sterling, em abril passado, por pontos. A força que virá do público presente na arena será uma motivação extra para o brasileiro.

“O apoio da galera será fundamental para conseguirmos uma vitória juntos. Eu sou o tipo de atleta que cresce com a força da torcida. Sentir os fãs ao meu lado, me apoiando, me empurrando para vencer, fará a diferença. Com certeza, meu adversário nunca passou por isso, sentir essa pressão. Vou tirar proveito de cada segundo desse clima, dessa torcida fanática ao meu lado, e isso vai me motivar ainda mais para fazer uma grande luta e presentear o Brasil com uma grande vitória”, analisa.

O embate entre Tanquinho e Boston Salmon colocará frente a frente dois lutadores oriundos de escolas diferentes, mas de carteis no MMA bem semelhantes. Tricampeão mundial de Jiu-Jitsu, o brasileiro é dono de seis vitórias e duas derrotas, enquanto o norte-americano, especialista em boxe, exibe seis triunfos e um revés, e fará sua estreia no octógono. Além da torcida, Tanquinho confia na experiência como mais um ponto favorável a seu favor.

“Meu adversário é um cara duro, tem uma boa trocação. Temos carteis parecidos, mas a diferença está na qualidade dos oponentes que enfrentamos. Eu só peguei pedreira, antes de lutar pelo UFC e no evento também. Ele ainda não encarou ninguém do meu nível, e não é melhor do que os caras que enfrentei no UFC. Então estou confiante para conquistar uma boa vitória, confiante no meu potencial e no apoio da torcida brasileira”, acredita.

Antes do UFC, o ADCC

Augusto Tanquinho é movido por desafios. Inquieto na busca pela evolução, o lutador, mesmo focado no MMA, se coloca em provação em competições de Jiu-Jitsu, modalidade na qual ele conquistou o Mundial de 2013 e os Mundiais Sem Kimono de 2012 e 2015, além dos títulos do Abu Dhabi World Pro de 2011 e 2013. Porém, em sua lista de conquistas, ainda falta a glória máxima no ADCC.

Por isso, nos dias 23 e 24 de setembro, na Finlândia, Tanquinho vai em busca do inédito triunfo. “O ADCC é o único título dos eventos grandes que ainda não tenho. Gosto muito de lutar Jiu-Jitsu e me testar entre os melhores, então nada melhor do que competir o torneio deste ano. Não vai me atrapalhar em nada na preparação para a luta no UFC. Na verdade, vai até ajudar. Estou empolgado para me sair muito bem nos dois desafios que tenho pela frente”, encerra.

(Fonte: Assessoria de imprensa)


Paulo e João Miyao faturam cinturões do GP do Berkut Jiu-Jitsu July 17 2017

João e Paulo Miyao com seus respectivos cinturões do ACBJJ.

A gelada Rússia teve no último domingo, dia 16, uma grande apresentação com a nata do Jiu-Jitsu leve no mundo, em mais uma edição do Berkut Jiu-Jitsu.

Também conhecido como ACBJJ, o evento contou com dois GPs, um até 60kg e outro até 65kg, com oito atletas cada. Mesmo com nomes de peso como Léo Vieira, Augusto Tanquinho e Rafael Barata, os destaques do dia ficaram para a dupla casca-grossa Paulo e João Miyao.

Os irmãos craques no berimbolo faturaram os dois GPs do evento, João em 60kg e Paulo nos 65kg. João, para garantir a cinta, venceu Mayko Araujo, Laércio Fernandes e Isaac Doederlein, este último na final do evento, após vencer três dos quatro rounds que contemplam o formato da disputa.

Paulo, por sua vez, teve de superar Osvaldo Queixinho e Augusto Tanquinho para garantir sua vaga na final. Pelo título, finalizou Gabriel Marangoni pelas costas.

Confira abaixo os resultados das lutas do ACBJJ!

60kg
Samir Chantre finalizou Rafael “Barata” Freitas no triângulo
Isaac Doederlein finalizou Milton Bastos armlock
João Miyao finalizouu Mayko Araujo chave de pé
Laércio Fernandes venceu Tomoyuki Hashimoto 2 a 0 nos rounds

Semifinais

Isaac Doederlein venceu Samir Chantre por 2 a 0 nos rounds
João Miyao finalizou Laércio Fernandes no estrangulamento pelas costas

Final

João Miyao venceu Isaac Doederlein por 4 a 0 nos rounds

65kg
Kim Terra venceu Isaque Paiva por 2 a 0 nos rounds
Gabriel Marangoni venceu Léo Vieira na chave de pé
Augusto Tanquinho venceu Rafael Mansur por 1 a 0 nos rounds
Paulo Miyao venceu Osvaldo Queixinho por 2 a 0 nos rounds

Semifinais

Gabriel Marangoni finalizou Kim Terra no armlock do triângulo
Paulo Miyao venceu Augusto Tanquinho por 3 a 0 nos rounds

Final

Paulo Miyao finalizou Gabriel Marangoni no estrangulamento pelas costas


Augusto Tanquinho e o Jiu-Jitsu de kimono como treino para o ADCC 2017 e UFC July 13 2017

Tanquinho pronto para voltar a lutar de kimono. Foto: Divulgação

Campeão mundial de Jiu-Jitsu e atleta peso-pena do UFC, Augusto “Tanquinho” Mendes não quis saber de pendurar o kimono para atender as necessidades sem pano de sua nova fase na carreira. Por mais que a fera esteja escalada para o GP até 65kg do Berkut, o ACBJJ, a fera, cria da Soul Fighters, contou que seu treinos com o paletó de algodão seguem para todas as batalhas que possa fazer, seja no UFC, no ADCC ou onde mais precisar atuar.

Em conversa com GRACIEMAG, Tanquinho ressaltou a importância dos treinos de Jiu-Jitsu tradicional na sua preparação. Para ele, as pegadas no pano e o maior leque de posições serve para agilizar o raciocínio e refinar o trabalho do corpo na hora da luta.

A fera terá, no próximo domingo, dia 16, o desafio de voltar a atuar em alto nível de kimono, no ACBJJ, contra nomes no calibre de Léo Vieira, Paulo Miyao, Kim Terra, Osvaldo Queixinho, Gabriel Marangoni e Nicholas Araújo. Tanquinho falou sobre a reta final de ajustes para voltar a lutar Jiu-Jitsu, a expectativa de participar mais uma vez do ADCC, na edição deste ano na Finlândia, e a muito mais. Confira abaixo!

GRACIEMAG.com: Como foi o convite para participar o GP do Berkut? Você já tinha planos de voltar a competir de kimono ou se inflamou após o chamado?
Augusto Tanquinho: O convite rolou quando eles decidiram fazer GPs em todos os pesos. Por eu já ter feito e vencido uma superluta lá em 2015 eles me convidaram e eu prontamente aceitei. Ver o Jiu-Jitsu se tornando mais profissional é muito legal e fico feliz de fazer parte desse novo projeto. Eu sempre quis voltar a lutar Jiu-Jitsu, tanto que tinha planos de lutar o Mundial da IBJJF deste ano, mas como lutei MMA em abril e não arrumei um patrocínio que fizesse valer a pena eu acabei não lutando. De um modo geral só esperava coincidir uma época boa com as minhas lutas de MMA e esse GP caiu bem.

Como fica a preparação para o torneio de kimono ao conciliar com os treinos sem pano para o MMA e eventualmente para o ADCC?
Eu continuo treinando de kimono todos os dias, inclusive ajudei na preparação de vários atletas da Soul Fighters para o Mundial, então não foi um problema. Amo treinar de kimono, mas sei da importância dos meus treinos sem kimono para o mma e estou conseguindo conciliar bem. Para o ADCC vou fazer o mesmo, já estou garantido até 66kg e em breve começo a minha preparação. Nunca deixei de lado os treinos de kimono, tanto que acredito que o meu nível não diminuiu. Continuo com um tempo bom e confio que posso vencer qualquer peso-pena. Talvez o meu ritmo de competição de kimono não seja o mesmo, mas vamos descobrir como vou responder lá em Moscou.

Existe, no seu ponto de vista, algum benefício em treinar de kimono para uma possível preparação de luta no MMA?
Existem vários benefícios. Com o kimono você refina a sua técnica e velocidade de raciocino e com isso o seu tempo de posições ficará melhor, sem falar na habilidade que você adquire de controlar a luta usando mais a técnica do que a força e explosão, facilidade que o sem kimono traz. Enfim, sou super a favor de treinar de kimono para uma luta de MMA.

Como você analisa o GP do Berkut no geral, com adversários duros já escalados, como Léo Vieira e Paulo Miyao?
Será um excelente teste, nunca lutei contra eles e contra os outros que estão no GP, será um prazer lutar contra esses adversários duríssimos e ajudar a fazer um grande show em Moscou.

Para entrar no ritmo da sua volta, qual foi a sua luta mais marcante de kimono?
Uma que me marcou muito foi a final do World Pro em 2011, no qual tive excelente campanha até chegar na final para enfrentar o Rafael Mendes. Ele já dominava a categoria, mas eu venci a disputa. O que me marcou dessa luta, contudo, foi o disse me disse que aconteceu lá em Abu Dhabi antes da final. Garantimos a vaga na final numa quinta-feira e a luta foi só no sábado. Então esses dias até a luta foram bem tensos, com muita guerra pela internet dos fãs, ainda mais por eu ter eliminado três caras do time dele antes. Ver o apoio do ginásio inteiro para mim, além de muito apoio vindo de todas as partes do mundo, realmente foi muito marcante.

E qual sua expectativa para o retorno ao UFC? Já tem alguma conversa para voltar ou oponente que gostaria de enfrentar?
Queria fazer mais duas lutas este ano, mas não conseguimos nada para agora em agosto, então acredito que só irei fazer mais uma luta lá para o fim do ano, já que vou lutar o ADCC em setembro. Estamos tentando entrar em algum show de outubro ou novembro. Eu não escolho adversário, então quem eles mandarem irei lá e vou fazer meu papel de vencer a luta.


Vídeos:Jacaré perde para Whittaker e Demetrious finaliza Wilson Reis no UFC April 15 2017

Jacaré não conseguiu segurar o ímpeto de Whittaker na trocação. Foto: Zuffa LLC via Getty Images

A noite desse sábado, dia 15, foi complicada para os brasileiros no UFC em Kansas. Com a exceção de Renato Moicano e Ketlen Viera, que mantiveram suas sequências invictas no MMA, os demais brasucas escalados para o card não tiveram o mesmo sucesso.

Bicampeão mundial absoluto de Jiu-Jitsu e grande nome entre os pesos médios do UFC, Ronaldo Jacaré acabou por sucumbir ao perigoso Robert Whittaker no card principal do evento. Jacaré, com mãos pesadas e boa investida no solo ao tentar pegar as costas, chegou a trazer perigo ao adversário. Porém, com mão rápidas e potentes, Whittaker sacudiu Jaca no primeiro e segundo assaltos.

Para levar a vitória, Robert aplicou bom golpe no brasileiro, para em seguida trabalhar por cima no ground and pound. Jacaré tentou reagir e virar em quatro apoios, mas o árbitro Mário Yamasaki encerou o duelo no momento que Jaca tentou se proteger. Vitória convincente de Whittaker, que agora se coloca em maior evidência na divisão.

.

Na luta principal, o brasileiro faixa-preta Wilson Reis tinha a dura missão de superar Demetrious Johnson, campeão dos moscas que detém o título desde 2012. Com um jogo de velocidade e volume insano de golpes, o americano minou as energias de Wilson ao longo de três assaltos. O brasileiro bem que tentou trabalhar no solo, mas foi Demetrious que mostrou seu fino jogo de Jiu-Jitsu. Depois de montar e castigar, Johnson fez rápida transição e atacou no justo armlock.

.

Ainda no card, o campeão mundial Augusto Tanquinho buscou sua segunda vitória consecutiva no Ultimate ao encarar Aljamain Sterling. No combate, Tanquinho usou bem sua trocação, mas Sterling foi melhor nas investidas, evitou as quedas e venceu na decisão dos jurados. Confira abaixo os resultados completos:

UFC Kansas City
Kansas, Missouri, EUA
15 de abril de 2017

Demetrious Johnson finalizou Wilson Reis no armlock aos 4min49s do R3
Rose Namajunas finalizou Michelle Waterson no mata-leão aos 2min47s do R2
Robert Whittaker venceu Ronaldo Jacaré por nocaute técnico aos 3min28s do R2
Renato Moicano venceu Jeremy Stephens na decisão dividida dos jurados

Card preliminar

Alexander Volkov venceu Roy Nelson na decisão unânime dos jurados
Tom Duquesnoy venceu Patrick Williams por nocaute técnico aos 28s do R2
Rashid Magomedov venceu Bobby Green na decisão dividida dos jurados
Tim Elliott venceu Louis Smolka na decisão unânime dos jurados
Aljamain Sterling venceu Augusto Tanquinho na decisão unânime dos jurados
Devin Clark venceu Jake Collier na decisão unânime dos jurados
Anthony Smith venceu Andrew Sanchez por nocaute técnico aos 3m52s do R3
Zak Cummings finalizou Nathan Coy na guilhotina aos 4min21s do R1
Ketlen Vieira venceu Ashlee Evans-Smith na decisão unânime dos jurados


Campeão mundial de Jiu-Jitsu, Augusto Tanquinho comenta próximo duelo no UFC March 27 2017

Tanquinho em duelo contra Frankie Saenz no UFC Phoenix. Foto: Divulgação/UFC

Após começar o ano de 2017 da melhor maneira possível, Augusto Tanquinho já definiu seu segundo desafio na temporada, o terceiro dentro do octógono. No dia 15 de abril, na cidade de Kansas, nos EUA, ele mede forças contra Aljamain Sterling no card do UFC on FOX 24, em duelo válido pela categoria peso-galo. Contra Sterling, oitavo colocado no ranking do evento para a divisão, o brasileiro enxerga uma excelente oportunidade para ganhar espaço dentro da franquia.

Só lutar contra um atleta na lista dos melhores não é o bastante para Tanquinho. Ele sabe que precisa de uma grande apresentação para bater o adversário, emplacar seu segundo triunfo no Ultimate e sacramentar a má fase do norte-americano.

“Fiquei muito feliz com o casamento da luta contra o Sterling, que é o oitavo do ranking. Ele é um cara duro, atlético, mas nada que me impressione. Treino com pedreiras em minha equipe, então o jogo do Sterling não é nada diferente do que eu já tenha enfrentado na academia. É uma boa oportunidade de vencer e, talvez, aparecer no top 15 da categoria. Isso me motiva”, comemora o representante da equipe MMA Lab.

Mas Tanquinho tem mais estímulos em sua mente para a luta do dia 15 de abril. Ele não só deseja vencer, como também quer proporcionar aos fãs um grande espetáculo dentro do octógono que será montado no Sprint Center. “Meu último combate foi uma verdadeira batalha, e fiquei muito feliz por isso. Sei que o público gosta de lutas intensas. Bater o Sterling por si só já é um grande desafio, mas o que mais me motiva é vencer de maneira impressionante para chegar na parte de cima do ranking”, conta.

Pouco mais de uma semana após ter o contrato para o embate assinado, o brasileiro não se preocupa com o curto período de tempo até o dia da luta. Logo após sua vitória em janeiro, na primeira edição do UFC em 2017, no qual o carioca levou a melhor sobre Frankie Saenz em um dos melhores duelos da noite, Tanquinho descansou e logo retornou aos treinos para um novo desafio.

“Eu estava há três semanas em treino forte, principalmente a parte física e algumas combinações na parte em pé. Ainda não tinha adversário definido, então não dava para treinar em cima das características do oponente. Terei quatro semanas para fazer isso, em camp de sete semanas. Está ótimo para mim. Já estou focado no plano para a luta e chegarei muito bem preparado no dia 15. Será um grande espetáculo”, avisa.

(Fonte:Assessoria de imprensa)


Yair Rodriguez supera BJ Penn e Tanquinho vence a primeira no UFC Phoenix January 15 2017

O último domingo, dia 15, teve uma noite de altos e baixos para o fã de Jiu-Jitsu que está sempre ligado no MMA.

Em ação no UFC em Phoenix, primeiro card da organização em 2017, BJ Penn voltou a atuar após dois anos e meio longe dos cages, e sofreu dura derrota na luta principal.

Yair Rodriguez, mexicano campeão do TUF Latin America, deu cabo do campeão mundial de Jiu-Jitsu aos 24s do segundo assalto, após dominar completamente a primeira etapa.

Com um chute frontal combinado a um soco de encontro, seguido de violento ground and pound, o jovem sedento por vitória obrigou “Big” John Mccarthy a encerrar a peleja. Reveja o lance final no vídeo abaixo.

Contudo, outro campeão mundial de Jiu-Jitsu teve motivos para sorrir no cage. Augusto “Tanquinho” Mendes, agora em ação no MMA na categoria dos pesos-galos, fez sua segunda luta na organização e conseguiu a vitória sobre Frankie Saenz.

Vindo de derrota em sua estreia no octógono para Cody Garbrandt, atual campeão da divisão, Tanquinho não esmaeceu e voltou com tudo ao cercado. Após luta equilibrada, marcada por boas quedas e trocação forte, o faixa-preta conseguiu sair vitorioso na decisão dos árbitros e ainda levou um bônus pelo desempenho no combate.

Outros destaques ficaram para a bela luta no solo entre Joe Lauzon e Martin Held, que terminou em contestada decisão dividida para Lauzon, e para o estrangulamento aplicado por Alexey Oliynyk sobre Viktor Pesta. Por baixo na guarda, Oliynyk surpreendeu a laçar o pescoço do adversário com um ezequiel para vencer no primeiro assalto. Confira abaixo os resultados completos:

UFC Phoenix
Phoenix, EUA
15 de janeiro de 2017

Yair Rodríguez venceu BJ Penn por nocaute técnico aos 24s do R2
Joe Lauzon venceu Marcin Held na decisão dividida dos jurados
Ben Saunders venceu Court McGee na decisão unânime dos jurados
Sergio Pettis venceu John Moraga na decisão unânime dos jurados

Card preliminar

Drakkar Klose venceu Devin Powell na decisão unânime dos jurados
Augusto “Tanquinho” Mendes venceu Frankie Saenz na decisão dividida dos jurados
Alexey Oliynyk finalizou Viktor Pesta no ezequiel aos 2min57s do R1
Tony Martin venceu Alex White na decisão unânime dos jurados
Nina Ansaroff finalizou Jocelyn Jones-Lybarger no mata-leão aos 3min39s do R3
Walt Harris nocauteou Chase Sherman aos 2min41s do R2
Joachim Christensen venceu Bojan Mihajlović por nocaute técnico aos 2min05s do R3
Cyril Asker venceu Dmitri Smoliakov por nocaute técnico aos 2min41s do R1


Campeão mundial de Jiu-Jitsu, Augusto Tanquinho tem novo compromisso no UFC December 20 2016

Faixa-preta fará sua segunda luta no Ultimate. Foto: Jeff Botarri/Zuffa LLC via Getty Images

Faixa-preta fará sua segunda luta no Ultimate. Foto: Jeff Botarri/Zuffa LLC via Getty Images

Faixa-preta de Jiu-Jitsu formado na equipe Soulfighters e campeão mundial pela IBJJF em 2014, Augusto Tanquinho conheceu esta semana seu próximo adversário. No UFC Fight Night 103, agendado para o dia 15 de janeiro, em Phoenix, nos EUA, o craque no chão encara Frankie Saenz, em duelo na divisão de pesos-galos.

Apesar da forte base no Jiu-Jitsu, Tanquinho ainda está em seus primeiros passos no MMA. Com apenas seis lutas no currículo, Tanquinho chegou ao Ultimate após manter invicto por cinco combates, e conquistar o cinturão no Legacy FC. Parceiro de treinos do ex-campeão Ben Henderson, a fera chegou no Ultimate de última hora, encarou o duríssimo Cody Garbrandt, e foi nocauteado em sua estreia.

Agora, Augusto terá Saenz como adversário. Mais experimentado no MMA e lutando em casa, o wrestler de origem e faixa-azul de Jiu-Jitsu tem na carreira 15 lutas, com 11 sucessos e quatro derrotas, duas delas em sequência em seus últimos embates, contra o aposentado Urijah Faber e Eddie Wineland, respectivamente.

O card ainda conta com outro campeão mundial de Jiu-Jitsu. BJ Penn, veterano do esporte com dois cinturões do UFC na carreira, encara o jovem Yair Rodriguez na luta principal. Confira abaixo o card parcial do evento:

UFC Fight NIght 103
Phoenix, Arizona, EUA
15 de janeiro de 2017

B.J. Penn x Yair Rodríguez
Joe Lauzon x Marcin Held
Court McGee x Ben Saunders
Bryan Caraway x Jimmie Rivera
Jussier Formiga x Sergio Pettis
Augusto “Tanquinho” Mendes x Frankie Saenz
Viktor Pešta x Damian Grabowski
Alex White x Tony Martin
Jocelyn Jones-Lybarger x Nina Ansaroff
Devin Powell x Jordan Rinaldi
Walt Harris x Chase Sherman
Joachim Christensen x Bojan Mihajlović
Cyril Asker x Dmitri Smoliakov


Augusto Tanquinho esquenta Mundial Sem Kimono; confira mais inscritos October 31 2016

Tanquinho e JT fizeram mais um lutao no Mundial Sem Kimono 2012 Foto Ivan Trindade

Tanquinho está de volta ao Mundial Sem Kimono. Foto: Arquivos GRACIEMAG

Falta pouco para a 10° edição do Mundial de Jiu-Jitsu Sem Kimono da IBJJF, realizado na Califórnia. O torneio, que reúne grandes nomes da arte suave, em duelos sem pano, rola nos dias 5 e 6 de novembro.

As inscrições se encerraram no dia 27, quinta-feira, e alguns nomes chamam atenção na lista de faixas-pretas.

Um deles foi Augusto “Tanquinho” Mendes, hoje atleta do UFC, que em papo com GRACIEMAG na semana passada ainda estava em dúvida sobre sua participação. De última hora, fez sua inscrição e estará entre as feras do torneio, além de sua mira no Ultimate estar para atuar no início do ano que vem.

Outros conhecidos do octógono, Gilbert Durinho e Vinny Magalhães também estão devidamente inscritos na competição, nas divisões de médios e pesadíssimos, respectivamente.

Outros nomes de destaque são João Miyao e Caio Terra nos plumas; Kim Terra, Gabriel Marangoni nos penas;  Márcio André, Gianni Grippo, Garry Tonon, AJ Agazarm e Mansher Khera nos leves; Matheus Diniz, Murilo Santana e Kit Dale nos meio-pesados;  Luiz Panza, Vitor Oliveira, Kauê Damasceno e Tim Springs no superpesado e Yuri Simões no pesadíssimo.

E para você, amigo leitor, qual atleta será o grande destaque no Mundial Sem Kimono? Confira a lista completa clicando aqui e comente conosco!


Na véspera do Mundial, reveja 3 das lutas mais explosivas do Jiu-Jitsu esportivo May 31 2016

O Campeonato Mundial de Jiu-Jitsu, promovido pela primeira vez em 1996 pela Federação Internacional (IBJJF), se notabilizou pela presença dos maiores craques do esporte. Não por acaso, diversos confrontos entraram para a história do Jiu-Jitsu esportivo e são cultuados pelos fãs que estavam presentes no ginásio ou viram ao vivo pela internet.

Hoje, véspera do Mundial 2016, a equipe GRACIEMAG selecionou três combates entre faixas-pretas que fizeram o tatame tremer! Relembre e dê seu voto: qual foi sua luta favorita da história dos Mundiais? Comente com a gente.

Augusto Tanquinho x Rafael Mendes – Final dos penas de 2013

Marcus Buchecha x Rodolfo Vieira – Quartas do absoluto 2012

Ronaldo Jacaré x Roger Gracie – Final do absoluto 2004

A cobertura do MUNDIAL 2016 é um oferecimento de STORM STRONG.

logo recortada preto e cinza


Em noite ruim para os brasileiros, Cerrone finaliza Alex Cowboy no UFC February 21 2016

Cowboy Cerrone tem o braço levantado no duelo contra Alex Cowboy no UFC Pittsburg. Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC via Getty Images

Cowboy Cerrone tem o braço levantado no duelo contra Alex Cowboy no UFC Pittsburg. Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC via Getty Images

O UFC Fight Night de número 83 teve um gosto amargo para a torcida brasileira. A edição do Ultimate em Pittsburgh, realizada nesse domingo, dia 21, contou com cinco atletas brasucas, e nenhum conseguiu sagrar-se vitorioso. Na luta principal da noite, o duelo de “Cowboys” entre Donald Cerrone e Alex Oliveira foi rapidamente definido a favor do americano, com uma bela finalização.

Alex Cowboy, que aceitou o duelo na categoria de cima, a dos meio-médios, e de última hora, entrou sorrindo e relaxado no cage. No combate, mostrou personalidade e deixou logo sua marca contra o americano Cerrone, com agressividade, golpes duros e um chute giratório. Donald, por sua vez, avançou com cautela, e contra atacou uma investida de Alex com a queda, que passou para uma montada já armada para o triângulo. Com o pé passado embaixo da cabeça de Alex, Cerrone girou e fez o arrocho no golpe. (Reveja aqui)

Antes, Roan Jucão foi superado por Derek Brunson nos médios; Augusto Tanquinho perdeu a invencibilidade em sua estreia na organização contra Cody Garbrandt, nos galos; Daniel Sarafian foi rapidamente nocauteado por Oluwale Bamgbose nos médios; e Leonardo “Leleco” Guimarães foi superado por Anthony Smith na decisão, também pelos médios.

Confira os resultados completos abaixo:

UFC Fight Night: Cowboy x Cowboy
Pittsburgh, EUA
21 de fevereiro de 2016

Donald Cerrone finalizou Alex Oliveira no triângulo aos 2min33s do R1
Derek Brunson venceu Roan Carneiro por nocaute técnico aos 2min38s do R1
Cody Garbrandt venceu Augusto Tanquinho por nocaute técnico aos 4min18s do R1
Dennis Bermudez venceu Tatsuya Kawajiri na decisão unânime dos jurados
Chris Camozzi venceu Joe Riggs por nocaute técnico aos 26s do R1
James Krause venceu Shane Campbell na decisão dos jurados

Card preliminar

Sean Strickland venceu Alex Garcia por nocaute técnico aos 4min25s do R3
Oluwale Bamgbose nocauteou Daniel Sarafian a 1min do R1
Anthony Smith venceu Leonardo “Leleco” Guimarães na decisão unânime dos jurados
Nathan Coy venceu Jonavin Webb na decisão unânime dos jurados
Ashlee Evans-Smith venceu Marion Reneau na decisão dividida dos jurados
Lauren Murphy venceu Kelly Faszholz por nocaute técnico aos 4min55s do R3
Shamil Abdurakimov venceu Anthony Hamilton na decisão unânime dos jurados