GracieMag - Sensō Jiu Jitsu

GracieMag

Cara de Sapato analisa UFC Rio e futuro de Marcus Buchecha no Jiu-Jitsu e no MMA June 13 2017

Buchecha e Cara de Sapato após fecharem o absoluto faixa-preta no Pan em 2012. Foto: Arquivos GRACIEMAG

Atleta de MMA em rápida ascensão nos pesos médios do UFC, Antônio Cara de Sapato é um velho conhecido de GRACIEMAG. Antes de se aventurar com sucesso no esporte de luvas, o casca-grossa nordestino defendia a bandeira da equipe Checkmat em torneios de kimono mundo a fora. Ex-companheiro de treinos de Marcus Bucheha, a fera conversou conosco e comentou a campanha do amigo e como vê os próximos passos da estrela dos tatames.

A conversa se misturou entre análises do Jiu-Jitsu e do MMA. Sempre bem informado sobre os dois mundos, Cara de Sapato conseguiu vislumbrar mais dias de glória para Buchecha na arte suave, e falou também de sua escalada no UFC. Se tem vontade de voltar ao Jiu-Jitsu? Bem, se o retorno acontecer um dia, ele já sabe quem desejaria enfrentar.

Confira o papo!

GRACIEMAG.com: Você e Buchecha costumavam fechar absolutos para a Checkmat. Como você vê o sucesso do amigo nos tatames hoje em dia?

Cara de Sapato: Bom demais ver como o Buchecha está brilhando nos tatames. Um grande fenômeno do esporte. Venceu o absoluto faixa-preta cinco vezes, bateu o próprio recorde dele que era de quatro títulos. Ele é mesmo o maior de todos os tempos, fazendo história no Jiu-Jitsu. Maior orgulho de ter treinado junto dele e ter ele como amigo.

E quanto ao Cara de Sapato? Tem mantido firme os treinos de kimono ou os específicos sem pano tomaram conta da rotina do agora atleta de MMA?

Quando estou de férias eu gosto muito de treinar de kimono. Durante os camps fica mais complicado, por conta dos treinos de trocação e wrestling. Mas sempre que posso e estou fora de camp eu boto o kimono para dar uma suada. Estava no Rio de Janeiro e treinei com os amigos Thales Leites e Igor Silva, por exemplo. Gosto muito de treinar de pano e praticar minhas pegadas, quando estou de férias.

Você sente saudade de competir quando vê um Mundial pegando fogo na Califórnia? Qual atleta da atualidade você acha que faria um lutão contra você?

Sempre dá. Vejo o pessoal lutando e bate uma nostalgia. Estar na Pirâmide e ter a equipe toda reunida, torcendo por você, é muito legal. Quem eu enfrentaria? O Buchecha, lógico! Ele ia me bater muito hoje em dia, mas com certeza gostaria de enfrentar ele numa disputa de kimono, por ser o cara do momento.

Um detalhe interessante é que hoje o Buchecha está entre os melhores, e você está em ascensão no UFC. Será este um sinal de que no MMA o caminho para o sucesso é mais espinhoso do que no Jiu-Jitsu?

Não acho que seja mais espinhoso. Eu já era faixa-preta de Jiu-Jitsu mas cheguei ao MMA como iniciante. Até mesmo no UFC, eu entrei com três lutas no cartel apenas, por conta do reality show do “TUF”, então sinto que amadureci dentro da organização, entre os melhores. Desafiei o Derek Brunson e ele aceitou. Vamos esperar o Ultimate marcar esta luta porque eu quero chegar logo nas cabeças.

O Buchecha disse, recentemente, que não está mais com planos tão imediatos de migrar para o MMA. Você acha que ele está certo em adiar a transição ou deveria apertar o passo para ter melhor aproveitamento de luvinhas?

Acho que a mudança tem de ser natural, o atleta deve ter vontade de mudar. Se ele está bem no Jiu-Jitsu e quer esperar mais um pouco, é porque não está com essa vontade tão forte. Ele precisa ter certeza total para migrar. Se ainda não tem, o melhor é esperar. Mas quando quiser, que ele saiba que tem um amigo aqui para auxiliar nos treinos e ajudar ele a ter tanto sucesso no MMA quanto tem no Jiu-Jitsu.


Campeão de Jiu-Jitsu, Antônio Cara de Sapato analisa o uso da guarda no UFC May 30 2017

Cara de Sapato em ação com o Jiu-Jitsu no UFC. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

Mesmo com a iminência do Mundial de Jiu-Jitsu, que começa nesta quinta-feira, 1° de junho, na Califórnia, o fã da arte suave tem um prato cheio também no UFC Rio, que rola no sábado, dia 3, no Rio de Janeiro.

Boa parte dos brasileiros escalados para o card do UFC 212, realizado na Jeunesse Arena, tem alta graduação no Jiu-Jitsu, como é o caso do faixa-preta Antônio Carlos “Cara de Sapato” Junior. Campeão absoluto na faixa-preta do Pan em 2012, com outras grandes conquistas no currículo, a fera se prepara para encarar o peso médio Eric Spicely, que tem como ponto forte em seu jogo as transições de solo no Jiu-Jitsu.

Cara de Sapato analisou o estilo do oponente, que possui uma guarda flexível, assim como o mesmo costumava jogar nos tempos de kimono. Contudo, o brasileiro ressaltou como os jurados do Ultimate vêem o jogo por baixo no cage, que para um atleta da arte suave pode ser tão perigoso quanto lutar por cima.

Veja as declarações do faixa-preta no vídeo abaixo e poste nos comentários a sua opinião sobre a guarda no MMA!

UFC 212
Rio de Janeiro, RJ
3 de junho de 2017

José Aldo x Max Holloway
Cláudia Gadelha x Karolina Kowalkiewicz
Vitor Belfort x Nate Marquardt
Paulo Borrachinha x Oluwale Bamgbose
Erick Silva x Yancy Medeiros

Card preliminar

Raphael Assunção x Marlon Moraes
Antônio Cara de Sapato x Eric Spicely
Johnny Eduardo x Mathew Lopez
Iuri Marajó x Brian Kelleher
Viviane Sucuri x Jamie Moyle
Luan Chagas x Jim Wallhead
Marco Beltran x Deiveson Alcântara


Vídeo: Campeão do TUF, Cara de Sapato conta como superou a síndrome do pânico December 02 2014

Um medo incontrolável que não se sabe de onde vem. É assim que se sentem os pacientes diagnosticados com a síndrome do pânico. Faixa-preta de Jiu-Jitsu e campeão do TUF Brasil, Antônio Carlos “Cara de Sapato” é um exemplo real de superação da doença para alçar vôos maiores na vida.

Acometido por crises de pânico há cerca de três anos, Cara de Sapato buscou ajuda e, após longa peregrinação passando por vários especialistas, o atleta do UFC conseguiu com um psiquiatra a resolução de suas aflições.

No vídeo abaixo, Cara de Sapato revela detalhes para Karen Terahata, do blog “Sem transtorno“, sobre o tratamento e superação da síndrome:


Vídeo: Cara de Sapato quer testar sua guarda de Jiu-Jitsu no UFC Barueri November 25 2014

Em dura preparação para seu próximo duelo no UFC em Barueri, São Paulo, Antônio Carlos Cara de Sapato tem treinado de tudo, em alta intensidade.

Sua rotina na Nova União se resume a treinos diários de MMA com Junior Cigano, que o presenteou com um belo olho roxo em seu último encontro, e os demais pesados da equipe, sem falar nos treinos de Jiu-Jitsu, afiando bastante sua conhecida guarda.

O campeão do TUF Brasil falou com a imprensa esta semana e comentou os planos para vencer Patrick Cummins, no chão ou em pé, pela categoria até 93kg. Confira!


Jiu-Jitsu: Aprenda com Cara de Sapato a raspar e finalizar da guarda fechada November 10 2014

De volta às suas origens no Jiu-Jitsu, Antônio Carlos Cara de Sapato, campeão do TUF Brasil 3, vestiu o kimono e mostrou uma valiosa alternativa para quem joga por baixo na guarda fechada.

Acompanhado do campeão mundial absoluto sem kimono Yuri Simões, Cara de Sapato mostrou uma opção de raspagem e de finalização aós travar o adversário na fechada. Assista, estude e comente conosco!


Cara de Sapato fala de próxima luta no UFC e comenta descida de peso October 28 2014

Cara de Sapato encara novo desafio no UFC, agora no meio-pesado. Foto: Carlos Arthur Jr./GRACIEMAG

Cara de Sapato encara novo desafio no UFC, agora no meio-pesado. Foto: Carlos Arthur Jr./GRACIEMAG

Antônio Carlos Júnior, o Cara de Sapato, fará sua primeira luta pelo UFC depois do título da terceira temporada do The Ultimate Fighter Brasil ainda em 2014. O paraibano terá pela frente o norte-americano Patrick Cummins, no UFC Fight Night 58, em Barueri, na Grande São Paulo, no dia 20 de dezembro, em confronto válido pela categoria dos meio-pesados (até 93,3kg). Campeão do TUF na categoria peso-pesado (até 120,6kg) em maio deste ano já treinando pela Nova União, ele passa a ser o centro das atenções juntamente a Renan Barão, que luta no mesmo dia, depois da manutenção do título dos penas por José Aldo, no último sábado, dia 25 de outubro.

Para o lutador, a escolha da organização não poderia ser melhor. Cara de Sapato acredita que uma vitória sobre Cummins, conhecido pelo seu jeito falastrão de ser, com um cartel de seis vitórias e uma derrota, sendo três lutas no UFC, pode ajudá-lo a aumentar sua projeção dentro da franquia. Com apenas 24 anos, o campeão pan-americano na faixa-preta é considerado um dos mais promissores atletas contratados recentemente.

“Sei que existe muita confiança de todos em cima de mim e que tenho que corresponder. A escolha do UFC pelo Cummins foi excelente. É um cara forte, do wrestling e com nome forte entre os lutadores. Então, se quero ganhar mais moral, essa luta é de fundamental importância. Estou preparado e ansioso já. Estou desde de maio aguardando e finalmente saiu o anúncio. Vou para dentro e mostrar meu talento”, avalia Antônio Carlos, que soma quatro lutas profissionalmente no MMA, com quatro vitórias, além dos dois combates na casa e um na seletiva do TUF, todos vitoriosos.

Decisão por lutar entre os meio-pesados

Assim que venceu o TUF Brasil 3, Cara de Sapato precisou decidir em qual categoria se encaixaria melhor na organização. No programa, por exemplo, o atleta da Nova União lutou com cerca de 95kg, entre os pesados, algo inviável dentro do octógono. Ao término, pensou em baixar para aproximadamente 83kg e atuar entre os médios. No fim, optou pelos meio-pesados.

“Foi difícil decidir. Na casa do TUF, era o mais leve entre todos os lutadores e isso poderia me prejudicar, já que a categoria dos pesados é a que mais abrange as diferenças de peso. Quando venci, ia optar para ficar nos médios, que é onde me sinto bem, principalmente porque sou do Jiu-Jitsu e é o peso que disputava a maioria das competições”, conta, revelando o motivo por escolher o peso acima: “Para o MMA acredito que 83kg me deixaria mais fraco que o costume, até pela situação da perda de peso. Escolhi, junto com meus preparadores e treinadores, que lutaria nos meio-pesados. Vamos ver como vou me comportar e no futuro decidimos se continuo nela ou baixamos a categoria”.

Amigo pessoal e principal parceiro de treinos do ex-campeão dos pesos-pesados Junior Cigano, que também faz boa parte de seus treinos na Nova União, Cara de Sapato sonhava em estar no mesmo card do catarinense, que será dia 13 de dezembro, nos Estados Unidos. Apesar de não ter conseguido isso, vê pontos positivos por lutar uma semana depois.

“Queria estar no card do meu parceiro Cigano, mas infelizmente não deu. Mesmo assim, estou feliz com a escolha da organização. É bom que consigo assistir a luta dele e depois ele assiste a minha, como torcedores (risos). Tenho certeza que vamos sair vitoriosos”, conclui.

(Fonte: Assessoria de imprensa)