GracieMag - Sensō Jiu Jitsu

GracieMag

Murilo e Arona inauguram projeto social no Rio October 01 2014

O encontro dos faixas-pretas Arona e Bustamante no projeto social.

O encontro dos faixas-pretas Arona e Bustamante no projeto social.

As lendas Murilo Bustamante e Ricardo Arona inauguraram, nesta terça-feira, 30, uma importante sala de artes marciais na sede da Unidade de Polícia Pacificadora da comunidade do Batan, localizada no bairro de Realengo, Zona Oeste do Rio de Janeiro. O projeto é uma parceira entre a Legião da Boa Vontade, Prime Esportes, Boomboxe e Governo do Estado, e conta com os próprios policiais da região para darem aulas de artes marciais para as crianças do local.

Campeão do ADCC, maior evento de luta agarrada do planeta, Ricardo Arona acordou cedo para sair de Itacoatiara e chegar a tempo da cerimônia de inauguração. Criado nos tatames, o faixa-preta de Carlson Gracie conhece bem a filosofia do Jiu-Jitsu e reconhece a importância da arte marcial para a socialização dos jovens, independentemente da classe social. “O Jiu-Jitsu é uma luta que atingiu a sociedade toda, classes sociais diferentes, enfim, uniu pessoas. Acontece uma divisão de águas quando um menino começa a treinar. Ele passa a enxergar a filosofia do esporte e a vida de outra maneira”, ressaltou.

Primeiro brasileiro a conquistar o cinturão do UFC, Murilo Bustamante teve a honra de ser escolhido o padrinho do projeto. Orgulhoso pela responsabilidade, ele exaltou o protagonismo das artes marciais em sua vida. “É um prazer imenso ser padrinho deste projeto e saber que a comunidade está sendo beneficiada pela polícia militar juntamente com os parceiros da LBV, da Prime Esportes e da Boomboxe. São várias forças buscando uma luz para essa criançada, buscando talentos, ajudando na educação. Viajo o mundo graças ao Jiu-Jitsu e, aonde vou, sempre vejo as artes marciais ajudando no desenvolvimento de pessoas”.

Iniciado em 2012, o projeto que atende às comunidades cariocas através das artes marciais já chega a 33 pontos em todo o estado do Rio de Janeiro. Além da reforma da sala, os locais também recebem os mesmos tatames utilizados pelo UFC, bonecos sparring para treinamentos de boxe, karatê e muay thai, e quimonos da Keiko para a prática de Jiu-Jitsu.

A sala de artes marciais inaugurada no Batan recebeu o nome do cabo Paulo Ricardo Fontes Carreira, que fazia parte da UPP local e foi morto em confronto com traficantes no ano de 2013. Policial e responsável por coordenar as aulas de Jiu-Jitsu para as crianças do local, o soldado Gian Carlos exaltou o projeto. “As crianças vêm se empenhando cada vez mais na escola, estão familiarizadas com Deus e eu acho isso muito importante para o futuro delas. Tenho alguns atletas que, em breve, estarão se firmando no cenário nacional, pois, graças ao esporte, estão muito bem encaminhadas”.

(Fonte: Assessoria de imprensa)