GracieMag - Sensō Jiu Jitsu

GracieMag

Quem vence a briga de gigantes no UFC 192? September 30 2015

O faixa-marrom de Jiu-Jitsu Daniel Cormier, campeão meio-pesado, calça as luvas novamente para defender seu cinturão pela primeira vez, contra o sueco Alexander Gustafsson na luta principal do UFC 192, a ser realizado neste sábado, 3 de outubro, em Houston.

Cormier tem 16 vitórias na carreira, sendo cinco por finalização, e apenas uma derrota na carreira. O campeão já afiou o Jiu-Jitsu com Marcus Buchecha, astro dos mundiais de Jiu-Jitsu.

Já seu adversário Gustafsson não quer deixar a chance escapar, depois de ter sido nocauteado por Anthony Johnson no UFC on Fox 14, em janeiro. Sua última vitória na organização foi sobre Jimi Manuwa, em março.

Quem vai ditar o ritmo?

Aqueça para este aguardado combate na prévia do UFC 192, com depoimentos e os melhores lances dos atletas.

UFC 192

Houston, Texas

Daniel Cormier x Alexander Gustafsson
Ryan Bader x Rashad Evans
Jessica Eye x Julianna Pena
Johny Hendricks xTyron Woodley

Shawn Jordan x Ruslan Magomedov
Daniel Hooker x Yair Rodriguez
Chris Cariaso x Sergio Pettis
Alan Jouban x Albert Tumenov

Ali Bagautinov x Joseph Benavidez
Angela Hill x Rose Namajunas
Derrick Lewis x Viktor Pesta
Sage Northcutt x Frank Trevino


Adriano Martins quer anular Khabilov para vencer no UFC Porto Alegre February 21 2015

Adriano Martins busca mais uma vitória no UFC. Foto: Divulgação/UFC

Adriano Martins busca mais uma vitória no UFC. Foto: Divulgação/UFC

Neste domingo, dia 22 de fevereiro, Porto Alegre recebe a primeira edição do UFC no Brasil em 2015, no ginásio Gigantinho. O responsável por abrir o card principal do evento será Adriano Martins, que enfrenta o russo Rustam Khabilov pela categoria peso leve, em busca de sua terceira vitória em quatro lutas no octógono. O manauara fará sua segunda exibição no país, e para corresponder às expectativas e ao apoio da torcida, realizou novamente o camp de preparação nos Estados Unidos, na academia American Top Team.

Preparar-se nos Estados Unidos sempre rendeu bons frutos a Adriano Martins. Ele treinou na ATT para suas duas vitórias no Ultimate, diante de Daron Cruickshank, por finalização, em 2013, em Goiânia, e sobre Juan Manuel Puig, por nocaute no primeiro round, nos EUA, em julho do ano passado. A diferença dessa vez é que a preparação do brasileiro foi toda voltada para o jogo de wrestiling, especialidade de seu adversário.

“Foi muito proveitoso esse período na ATT. Treinei com lutadores de todos os tipos e a galera me deu muita força. Aprendi muita coisa e com certeza vou passar mais tempo lá do que aqui futuramente. Eu e minha equipe queríamos ver como que está meu nível de wrestiling, já que meu adversário tem isso como ponto forte e o local ideal para isso é realmente os Estados Unidos, onde tem estrutura e atletas qualificados nessa parte de luta agarrada”, explica Martins, que dividiu tatame e cage com nomes como Gleison Tibau, Dustin Poirier e Will Brooks.

A motivação por mais um duelo em solo nacional, depois de duas apresentações nos Estados Unidos, tem consumido Adriano Martins. Os bons pressentimentos se devem ao calor do público na sua estreia no UFC, em Goiânia, onde finalizou Daron Cruickshank com uma chave-de-braço. O nervosismo, então, passa longe.

“Eu gosto muito de lutar no Brasil, não sinto nenhum tipo de pressão negativa, só levo isso para o lado positivo. Sem obrigação de ganhar, e sim fazer uma grande luta e as pessoas gostarem do que estão assistindo. Aqui no Brasil a atmosfera é inexplicável, a emoção é única. Confesso que não vejo a hora de entrar no octógono e ouvir o tradicional ‘uh vai morrer’ ecoando no ginásio”, garante.

Seu adversário, o russo Rustam Khabilov ocupa a 14ª posição no ranking dos leves e venceu três de suas quatro lutas no UFC. Vindo de derrota para o ex-campeão da categoria Ben Henderson, o russo tem um cartel de 17 vitórias, apenas duas derrotas, e nunca foi nocauteado na carreira, escrita que Adriano busca quebrar.

“É um cara muito explosivo, movimenta bastante e busca muito a luta agarrada, já que vem do sambo. Eu tenho na minha cabeça que ele não é um bicho-papão e, com uma boa estratégia, acho que consigo anular o jogo dele. Sabemos que cada luta é uma luta, mas eu confio muito nessa minha parte de striker, tenho vários nocautes na carreira, e vou para cima dele tentar nocauteá-lo. Mas sem esquecer da estratégia, de estar sempre pontuando. Espero vencer, se for finalizando ou na decisão ficarei feliz, mas um nocaute certamente teria um gostinho especial”, finaliza o manauara, que soma 26 vitórias e sete derrotas na carreira.

(Fonte: Assessoria de imprensa)


Glover Teixeira encara Rashad Evans na luta principal do UFC em Porto Alegre December 18 2014

Glover treinou pouco, mas prometeu acelerar no combate contra Davis. Foto: Carlos Arthur Jr.

Glover treinou pouco, mas prometeu acelerar no combate contra Davis. Foto: Carlos Arthur Jr.

Sem lutas definidas até hoje, o UFC tratou de correr e conseguiu confirmar três batalhas para o card do UFC em Porto Alegre, primeira edição brasileira de 2015 a ser realizada no dia 22 de fevereiro, no ginásio do Gigantinho. As informações são do Combate.com.

O duelo principal fica entre os meio-pesados Glover Teixeira e Rashad Evans, em duelo de cinco rounds. O combate ainda não foi anunciado oficialmente, mas ambos atletas teriam fechado o acordo verbal com a organização, faltando apenas a assinatura dos contratos para o combate.

Outras luta do card, estas já confirmadas, são entre Adriano Martins e Rustan Khabilov, nos pesos leves, e Cezar Mutante contra Sam Alvey, na divisão de médios do UFC.

E você, leitor, gostou do card que vai se formando para Porto Alegre? Comente conosco!


UFC: Ben Henderson vence Josh Thomson em decisão polêmica January 25 2014

Ben Henderson tem a mão levantada após vitória sobre Thomson. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

Ben Henderson tem a mão levantada após vitória sobre Thomson. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

A 10° edição do UFC on Fox, realizada na noite desse sábado, dia 25, em Chicago, anotou mais uma vitória por decisão para o ex-campeão Ben Henderson, ao superar o experimentado Josh Thomson.

No coevento principal, Gabriel Napão foi superado por Stipe Miocic também por decisão, e Adriano Martins foi nocauteado por Donald Cerrone com um poderoso chute alto. Ainda no card preliminar, Hugo Wolverine usou seu boxe para vencer Ramiro Hernandes em decisão unânime.

No evento principal, promessa de grande embate entre Ben Henderson e Josh Thomson, em batalha agendada para cinco rounds que definiriam o próximo desafiante ao cinturão peso leve do UFC, atualmente nas mãos de Anthony Pettis.

Josh se mostrava mais ativo no combate, ao derrubar o ex-campeão Bendo e aproveitar o descuido do oponente ao tentar se levantar para chegar nas costas. O mesmo movimento foi repetido algumas vezes ao longo dos 25 minutos de luta.

Após os cinco rounds, o combate foi para os jurados. A vitória veio em decisão dividida para Benson Henderson, e a escolha foi contestada nas redes sociais por lutadores, jornalistas e fãs. O presidente do UFC, Dana White, disse em entrevista que o combate não definiu um próximo desafiante ao cinturão.

Outros destaques desta edição ficaram para o mata-leão de Alex “Bruce Leeroy” Caceres sobre Sergio Pettis, que lhe rendeu dois bônus da noite, e para a vitória relâmpago de Nikita Krylov sobre Walt Harris. 25 segundos entre o início do combate e a vitória por nocaute técnico, sexta mais rápida entre os pesados do UFC.

Veja os resultados abaixo:

UFC on Fox 10
United Center, Chicago – EUA
25 de janeiro de 2013

Ben Henderson venceu Josh Thomson na decisão dividida dos jurados
Stipe Miocic venceu Gabriel Napão na decisão unânime dos jurados
Donald Cerrone nocauteou Adriano Martins aos 4min40s do R1 (Nocaute da noite)
Jeremy Stephens venceu Darren Elkins na decisão unânime dos jurados

Card preliminar

Alex Caceres finalizou Sergio Pettis no mata-leão aos 4min39s do R3 (Luta e finalização da noite)
Eddie Wineland venceu Yves Jabouin por nocaute técnico aos 4min16s do R2
Chico Camus venceu Yaotzin Meza na decisão unânime dos jurados
Hugo Wolverine venceu Ramiro Hernandes na decisão unânime dos jurados
Daron Cruickshank venceu Mike Rio por nocaute técnico aos 4min56s do R2
George Sullivan venceu Mike Rhodes na decisão unânime dos jurados
Nikita Krylov venceu Walt Harris por nocaute técnico aos 25s do R1


Vídeo: Aqueça para o UFC com uma finalização de Ben Henderson January 25 2014

Em atuação logo mais, às 19:30h da noite, Ben Henderson já mostrou que é fera no Jiu-Jitsu, antes mesmo de conquistar a faixa-preta. Veja como o feroz americano finalizou Jamie Vaerner no WEC:

UFC on Fox 10
United Center, Chicago – EUA
25 de janeiro de 2013

Benson Henderson x Josh Thomson
Gabriel Napão x Stipe Miocic
Adriano Martins x Donald Cerrone
Darren Elkins x Jeremy Stephens

Card preliminar

Alex Caceres x Sergio Pettis
Eddie Wineland x Yves Jabouin
Chico Camus x Yaotzin Meza
Hugo Wolverine x Junior Hernandez
Daron Cruickshank x Mike Rio
George Sullivan x Mike Rhodes
Walt Harris x Nikita Krylov


Vídeo: reveja o nocautaço de Gabriel Napão no UFC 166 January 24 2014

Ostentando um atípico bigodão, Gabriel Napão, conhecido finalizador, mostrou ter peso nas mãos ao contra-atacar uma investida de seu oponente, Shawn Jordan, e terminar o combate com este belo nocaute no UFC 166, em outubro do ano passado. Confira:

UFC on Fox 10
United Center, Chicago – EUA
25 de janeiro de 2013

Benson Henderson x Josh Thomson
Gabriel Napão x Stipe Miocic
Adriano Martins x Donald Cerrone
Darren Elkins x Jeremy Stephens

Card preliminar

Alex Caceres x Sergio Pettis
Eddie Wineland x Yves Jabouin
Chico Camus x Yaotzin Meza
Hugo Wolverine x Junior Hernandez
Daron Cruickshank x Mike Rio
George Sullivan x Mike Rhodes
Walt Harris x Nikita Krylov


Vídeo: a preparação de Napão, Adriano Martins e Bendo para o UFC de sábado January 24 2014

UFC on Fox 10
United Center, Chicago – EUA
25 de janeiro de 2013

Benson Henderson x Josh Thomson
Gabriel Napão x Stipe Miocic
Adriano Martins x Donald Cerrone
Darren Elkins x Jeremy Stephens

Card preliminar

Alex Caceres x Sergio Pettis
Eddie Wineland x Yves Jabouin
Chico Camus x Yaotzin Meza
Hugo Wolverine x Junior Hernandez
Daron Cruickshank x Mike Rio
George Sullivan x Mike Rhodes
Walt Harris x Nikita Krylov


Braga Neto lapida Jiu-Jitsu de Adriano Martins e espera oponente no UFC: “Não sou matchmaker” January 04 2014

Braga Neto finalizou Anthony Smith em sua estreia no UFC. Foto: Carol Correia

Braga Neto finalizou Anthony Smith em sua estreia no UFC. Foto: Carol Correia

Antônio Braga Neto perdeu a oportunidade de fazer sua segunda luta no UFC em novembro, por conta de uma contusão no ombro. Depois de dois meses, o faixa-preta bicampeão mundial de Jiu-Jitsu está novinho em folha. Braga, que já treina normalmente em Manaus, no Amazonas, conversou com GRACIEMAG sobre a recuperação e os planos para a carreira.

“Já estou recuperado, já dei o OK para o UFC. Consegui a liberação médica, agora estou só na expectativa de lutar. Voltei aos treinos também. Tem um garotão, o Cássio, que está me ajudando no boxe. A gente está aqui com um auxílio legal, com uma estrutura quase em conta, mas estamos trabalhando para isso. Vamos montar uma estrutura padrão mundial aqui em Manaus muito em breve. Será uma academia que não vai deixar a desejar pars lugar nenhum no mundo”, comenta o aluno de Roberto Gordo, que tem nove vitórias e uma derrota no cartel.

Morando novamente em Manaus desde sua última vitória no UFC, Braga tem ajudado nos treinos de Adriano Martins, que enfrenta Donald Cerrone no UFC on Fox 10, dia 25 de janeiro.

“Ele também estava treinando por aqui e estamos juntos e ajudando um ao outro. Essa luta vai ser um divisor de águas na carreira do Adriano, que é um talento amazonense. A gente sabe que quem é daqui rala para ter reconhecimento e visibilidade, ainda mais quando não tem um padrinho ou quem indique. Para o Adriano vai ser uma concretização de uma coisa pessoal para ele, afinal a vitória vai colocá-lo como um grande nome na categoria dos leves”, antecipa.

Ao ser questionado se tinha algum adversário em mente, Braga Neto é preciso e direto.

“Sou absolutamente contra querer desafiar e lutar contra alguém, sacou? A gente é funcionário do UFC e é pago para lutar. Se eles quisessem me pagar para escolher luta, eles me contratariam como matchmaker. Não caso lutas,estou aí para lutar com qualquer um, em qualquer lugar, entendeu? O que o UFC mandar vou fazer. Hoje não tenho vontade especial de lutar contra ninguém, não. Não tenho problema com ninguém. Só tenho de ganhar de mim mesmo, minha luta é contra mim mesmo”, reflete Neto.

Amante do Jiu-Jitsu, o faixa-preta lista um dos principais aspectos que levou da arte suave para o MMA:

“A variação. Uma hora você está ganhando, outra você está perdendo. No Jiu-Jitsu acontece muito isso, você começa ganhando, começa perdendo, e assim sucessivamente. Esses altos e baixos do Jiu-Jitsu ajudam muito no MMA. Tem aquele lance de você tomar uma ou duas porradas, e saber que não acabou, que o cara está mais cansado. Acho isso muito importante, dá tranquilidade. Você sempre lembra que tem a chance de se acalmar, continuar e finalizar o oponente.”


Adriano Martins explica finalização premiada do UFC Goiânia November 14 2013

Adriano faz pegada pro armlock, mas não arrisca e espera o momento certo de finalizar. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

Adriano faz pegada pro armlock, mas não arrisca e espera o momento certo de finalizar. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

Em uma noite não tão brilhante para os brasucas, Adriano Martins foi feliz e saiu vencedor do cage montado na Arena Goiânia, no dia 9 deste mês, no UFC Fight Night: Belfort x Henderson. Sendo agraciado com a vitória, pegando no braço e levando o bônus de finalização da noite sobre Daron Cruickshank, Adriano fez sua estreia em grande estilo.

Entre um mergulho e outro nas cachoeiras de Nova Friburgo, lugar que escolheu para relaxar após a vitória, Adriano bateu um papo com GRACIEMAG e falou da nula pressão da estreia no UFC, sobre a estratégia montada para o adversário, sobre o complicado golpe e sobre suas expectativas na organização. Confira!

GRACIEMAG: Como foi a pressão de finalmente estrear no Ultimate?

Adriano Martins: Eu passei por uma época muito difícil, de dúvidas sobre o UFC. Entra ou não entra, vou ou não vou. Eu ia lutar no UFC e a minha luta foi cancelada. Acabei fazendo minha estreia no Strikeforce. Então estava bastante confiante. Sabia que estava preparado para fazer minha estreia no Ultimate. Agarrei com unhas e dentes e saí com vitória por finalização e o bônus. Melhor não há!

Sua estreia no Strikeforce diminuiu a pressão de pisar no octógono? Foi melhor do que ir direto para o UFC?

Com certeza. O evento me deu essa tranquilidade porque eu lutei no último Strikeforce, ao lado de grandes lutadores. Tive uma visão melhor, como um prévia do UFC.

E a escolha de um oponente como o Cruickshank para a sua estreia?

Ficamos felizes com a escolha do adversário. Minha vida nunca foi fácil, só peguei casca-grossa aqui no Brasil. Quando deram esse nome pra minha estreia eu pesquisei sobre ele e vi que era um adversário duro, o que mostra que o UFC estava nos vendo com bons olhos. Mas estava confiante que essa era minha hora e o que eu queria mesmo era um desafio.

O que você tinha planejado como estratégia?

O plano era manter na curta distância, dominando o espaço no cage e partindo pra trocação no primeiro assalto. Se passasse do primeiro round já iriamos buscar mais o solo, derrubando e caindo por cima, mas acabou que foi pro chão no início mesmo e eu consegui aplicar aquela finalização, que eu faço bastante na academia.

Falando nisso, que finalização foi aquela, na palavra de quem aplicou?

Pra mim é uma americana. O pessoal falou que foi uma kimura, sei lá. Eu faço muito aquele golpe nos treinos, com eficiência, e deu certo na luta. Eu fiz a pegada da kimura e travei o ombro dele, deixando bem colado e justo. Ele estava tentando girar o braço, ai eu desci um pouco pra apertar mais o ombro e estiquei em direção ao cotovelo, como um armlock.

Qual outro golpe você tinha guardado na manga nessa luta?

Eu treinei muito todos os golpes. Treinei muito Jiu-Jitsu, então estava com opções. Na luta eu etá tive oportunidade de pegar no armlock, mas como já estávamos muito suados, não quis arriscar o golpe e ficar em posição desfavorável na luta, por baixo. Valorizei a posição de superioridade e esperei o momento certo para finalizar.

Depois de um 2013 cheio de conquistas, o que esperar do ano que vem?

Pretendo fazer três ou quatro lutas no ano que vem, pegando só os melhores. Não quero moleza. Vou continuar treinando duro para representar bem. Treino muito e sou muto competitivo, não gosto de perder em nada. Passei por muito sufoco mas batalhei no meu caminho e fui recompensado pelo esforço. Só tive felicidades este ano e vamos trabalhar duro para fazer do ano quem vem ainda melhor.

UFC Fight Night Combate: Belfort x Henderson
Goiânia Arena, Goiás
9 de novembro de 2013

Vitor Belfort nocauteou Dan Henderson a 1min17s do R1 (Nocaute da noite)
Cezar Mutante venceu Daniel Sarafian na decisão dividida dos jurados
Rafael Feijão venceu Igor Pokrajac por nocaute técnico aos 1min18s do R1
Brandon Thatch venceu Paulo Thiago por nocaute ténico aos 2min10s do R1
Ryan LaFlare venceu Santiago Ponzinibbio na decisão unânime dos jurados
Jeremy Stephens nocauteou Rony Jason aos 40s do R1

Card preliminar

Sam Sicilia venceu Godofredo Pepey por nocaute técnico a 1min42s do R1
Omari Akhmedov nocauteou Thiago Bodão aos 3min31s do R1 (Luta da noite)
Thiago Tavares finalizou Justin Salas no mata-leão aos 2min38s do R1
Adriano Martins finalizou Daron Cruickshank na chave de braço aos 2min29s do R2 (Finalização da noite)
Dustin Ortiz venceu José Maria “Sem Chance” por nocaute técnico aos 3min19s do R3


Brasileiro invicto estreia internacionalmente no One FC, na Malásia November 06 2013

Adriano Mikinho e seu cinturão do Shooto. Foto/Divulgaçãp

Adriano Mikinho e seu cinturão do Shooto. Foto/Divulgaçãp

O atleta brasileiro Adriano Moraes, conhecido como Mikinho, assinou contrato de dois anos com o maior evento de artes marciais mistas do continente asiático, o ONE FC.

Com estréia marcada para dia 15 deste mês em Kuala Lampur, na Malásia, a equipe do jovem, a Constrictor Team, intensificou os treinos focando sua primeira vitória internacional, ao encara o americano Josh Paiva.

O atleta, que é campeão do peso-mosca do Shotoo Brasil e tem um cartel invicto de nove vitórias em sua carreira, destaca a importância do evento na sua carreira:

“O One FC é um evento muito respeitado no continente asiático, com grandes lutadores e muito bem organizado. Estreio dia 15 de novembro contra o norte-americano Josh Paiva, atual campeão do King of the Cage (KOTC) que também está invicto, com quatro vitórias. Levo na mala o orgulho de ser brasileiro e de poder representar Brasília em um grande evento internacional”, comenta.

Adriano, que tem como ponto forte o Jiu-Jittsu, parte para a Ásia com a esperança de conseguir alcançar no exterior o mesmo sucesso que teve nos eventos nacionais, mantendo sua invencibilidade e buscando seu espaço no cenário do MMA mundial.

(Fonte: Assessoria de imprensa)