GracieMag - Sensō Jiu Jitsu

GracieMag

Mundial de Jiu-Jitsu: Rudson Matheus fatura ouro duplo na faixa-marrom June 04 2017

Rudson Mateus brilhou no Mundial da Califórina. Foto: Beatriz Lina

Mesmo com as categorias e absolutos da faixa-preta em ação em Long Beach, não podemos deixar de destacar a garra do amazonense que será estrela entre a faixa-preta nos próximos anos.

Rudson Mateus, fera da equipe Caio Terra, brilhou esta semana com a difícil missão alcançada de faturar o título no peso e no absoluto faixa-marrom no Mundial de Jiu-Jitsu 2017. Favorito à conquista, o craque fez por merecer e superou grandes nomes no percurso.

Primeiro, entre os meio-pesados, Rudson venceu seis duelos para sagrar-se campeão, o último contra Gustavo Batista (Ns Brotherhood) na finalíssima. Não satisfeito com o ouro Mundial no seu peso, a fera partiu para o absoluto, na intenção de bater os gigantes que lá estariam.

No peso aberto, Rudson encarou mais quatro duelos dos mais difíceis que podiam ser. Primeiro, Rudson superou Gutemberg Pereira (GFTeam), campeão super pesado e um dos favoritos ao título absoluto. Depois, passou por Vinícus Gazola (Alliance), que havia conquistado mais cedo o título no peso pesado. No duelo seguinte, foi a vez de Rudson encarar Casey Hellenberg (Ribeiro JJ), terceiro lugar entre os pesadíssimos, e sair com a vitória mais uma vez e garantir seu lugar na final. Pelo ouro, Rudson bateu Perttu Tepponen (Hilti BJJ) e garantiu o ouro duplo em campanha invejável na marrom.

Fique ligado na cobertura de GRACIEMAG e saiba todos os detalhes do que rola em Long Beach!

OFERECIMENTO:


Jiu-Jitsu: Veja os campeões do Abu Dhabi World Pro e Legends April 22 2017

Com mais uma edição realizada, o Abu Dhabi World Pro 2017 chega ao fim. Foto: Ivan Trindade/Gentle Art Media

O Abu Dhabi World Pro chegou ao fim neste sábado, 22 de abril, na Arena IPIC, em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos. O último dia de competições apresentou as finais masculinas dos faixas-pretas e as finais femininas de faixa-marrom/preta, além das disputas de medalhas de bronze para ambos os sexos. O evento também ofereceu à multidão as aguardadas disputas do “Jiu-Jitsu Legends”. Confira os resultados completos:

Abu Dhabi Legends

Pesado – Marcio “Pé de Pano” jogou por baixo e trabalhou para raspar no fim da luta, nos 30 segundos finais da partida. Ele bateu Gabriel Napão por 2 a 0 e manteve o título

Médio – Amaury Bitetti contabilizou duas vantagens sobre uma de Roberto Traven para se tornar o primeiro campeão peso médio do Legends.

Meio-médio – Vitor Shaolin entrou para matar. Para vencer, a fera raspou, passou e quando Kenny Florian tentou o quatro apoios para escapar, este acabou apagado num estrangulamento relógio. Shaolin, assim, manteve seu título

Leve – Alexandre Soca administrou o duelo até o momento certo no qual raspou Baret Yoshida. Dpois, o brasileiro segurou o resultado e a vitória que lhe manteve campeão.

Galo – Wellington Megaton esperou mais de 20 anos para sua revanche contra Hélio Soneca. Contudo, Soneca conseguiu raspar e mais uma vez venceu o duelo entre as feras, por 2 a 0.
Faixa-preta Masculino

56kg – Rodnei Junior entrou com tudo contra o japonês Todokoro Masaaki na partida final. O brasileiro conseguiu ganhar as costas de seu oponente e encaixar um estrangulamento de lapela para garantir o cinturão da categoria.

62kg – Mikey Musumeci venceu a divisão na sexta-feira depois de vencer todos os duelos numa chave de três. Cleber Fernandes terminou em segundo e Hiago George em terceiro lugar.

69kg – Gianni Grippo alcançou o seu segundo título consecutivo em Abu Dhabi contra Tiago Bravo na final. O americano conseguiu chegar às costas de Bravo, acumulou 8 a 0 nos pontos e comemorou o título. No terceiro lugar, Isaac Doederlei conseguiu encaixar um estrangulamento pelas costas de Talison Costa.

77kg – Em uma partida que pode ser chamada de amigável, os companheiros Edwin Najmi e Gabriel Arges agradaram a multidão com uma boa disputa. Arges se adiantou e manteve uma vantagem no placar com uma raspagem, manteve a liderança até o final do duelo e celebrou outro título conquistado em Abu Dhabi.

85kg – Claudio Calasans não se intimidou com a torcida local que favorecia o local Faisal Al Kitbe. Em uma partida disputada, o brasileiro impôs seu jogo, obteve uma vantagem de 6 a 0 e levou o cinturão da categoria. No terceiro lugar, Marcos Costa superou William Dias por 1 a 0 e chegou ao pódio.

94kg – Felipe Preguiça não deixou o perigoso Adam Wardzinski evoluir seu jogo . O brasileiro pegou as costas de Adam e terminou a final com um estrangulamento para reivindicar ainda mais um cinturão em sua história no ADWPJJC.

110kg – José Junior, já líder do ranking UAEJJF para a temporada 2016/2017, entrou no tatame para levar mais um cinturão. Ele fez isso com uma vitória de 2 a 0 sobre o arisco Chris Bowe. Na disputa do bronze, Erberth Santos bateu Manuel Pontes por uma falta.

Faixa-marrom/preta Feminino

49kg – Mayssa Bastos ganhou a competição na sexta-feira, ao vencer todas as suas partidas em chave de três. Rikako Yuasa terminou em segundo e Liwia Gluchowska levou o terceiro lugar.

55kg – Talita Alencar quis terminar uma ótima temporada com um estrondo, e a chave de pé em Vanessa Inglês foi o final perfeito. Na disputa das medalhas de bronze, Thamires Aquino venceu Amal Amjahid por 2 a 1.

62kg – Bia Mesquita estava em chamas neste sábado. A brasileira encarou Tammi Musumeci com tudo, finalizou a partida com um estrangulamento pelas costas e levou o cinturão da categoria. Na partida dos bronzes, Jess Fraser venceu Laurence Cousin por 2 a 0.

70kg – Ana Carolina Vieira encontrou uma adversária muito dura em Amanda Benavides. A medalha de ouro e o cinturão só vieram às mãos de Carol após a brasileira obter uma vantegem de 4-1 sobre sua adversária. No bronze, Priscila Cerqueira estrangulou Fiorella Coto pelas costas.

90kg – Nathiely de Jesus terminou uma campanha brilhante com outro desempenho poderoso contra Talita Treta, que foi valente ao não bater em um armlock precoce. A vantagem de 4 a 2 sobre a compatriota foi suficiente para Nathiely levar o cinturão para casa e garantir o primeiro lugar no ranking UAEJJF.

(Fonte: Assessoria de imprensa)


Buchecha comenta Mundial e garante que vai atrás do penta absoluto June 07 2016

Marcus Buchecha no duelo final do absoluto faixa-preta de 2016. Foto: Ivan Trindade

Marcus Buchecha no duelo final do absoluto faixa-preta de 2016. Foto: Ivan Trindade

Após conquistar o absoluto faixa-preta em 2012, 2013 e 2014, Marcus Buchecha passou a dividir com Roger Gracie o status de maior campeão da IBJJF, com três ouros no aberto. Mas as ambições do atleta da Checkmat foram além. No Mundial de Jiu-Jitsu 2016, concluído no domingo 5 de junho, Buchecha mordeu seu quarto título, passou o Gracie, e agora quer mais.

Marcus Almeida, 26 anos, é a síntese do Jiu-Jitsu em evolução. Pesadíssimo com jogo de leve, Buchecha apavora seus adversários desde muito cedo. Depois de estrear na preta em 2011, e ficar em terceiro no absoluto, a fera conquistou o topo do pódio no aberto nos três anos seguintes. Uma lesão no joelho no Mundial de 2015 o tirou do páreo, mas o retorno em 2016 foi triunfal.

“O joelho está muito bom, deu até para saltar na arquibancada depois da final (risos). Estou me sentindo ainda melhor que antes da cirurgia. Acho que estou como o vinho, cada ano que passa fico melhor”, brincou o atual campeão mundial absoluto.

A campanha foi impecável. No pesadíssimo, finalizou craques do calibre de João Gabriel, para na final pegar James Puopolo no armlock. Já no absoluto, montou e finalizou Felipe Preguiça, com um jogo explosivo e ao mesmo tempo inteligente, e a garantia do quarto ouro:

“Me senti muito bem nesse campeonato. Só a primeira e a última luta que não consegui finalizar. Entrei muito confiante no título e aconteceu”, disse Buchecha, que encarou Erberth Santos na final do aberto e conseguiu, quase no fim do combate, uma capotada que lhe rendeu os dois pontos da inversão para vencer o duelo por 6 a 4.

Fã de MMA, Buchecha poderia ser uma dúvida nos próximos Mundiais. Assim como outras feras do Jiu-Jitsu que estão investindo nas luvas, como Rodolfo Vieira, Michelle Nicolini, Mackenzie Dern e outros, o foco de Buchecha poderia ficar mais centrado em sua estreia nos cages. Porém, a fera garantiu ao GRACIEMAG.com que está no pique para seguir sua caminhada de kimono, e que ano que vem, no Mundial de 2017, lá estará ele, pronto para tentar o penta absoluto e ampliar seu recorde histórico.

“No ano que vem eu vou de novo no Mundial, sim. Agora as coisas estão indo bem, né? E em time que está ganhando não se mexe”, garantiu.

Você acha que ele consegue o penta, amigo leitor, ou pode ser parado em 2017? Comente!