GracieMag - Sensō Jiu Jitsu

GracieMag

Os 10 maiores campeões absolutos do Campeonato Mundial de Jiu-Jitsu November 07 2016

Ronaldo Jacaré resiste ao golpe de Roger, no épico Mundial 2004. Foto: Gustavo Aragão

Jacaré resiste ao golpe de Roger, no épico Mundial de Jiu-Jitsu de 2004, no Rio. Foto: Gustavo Aragão

Torneio criado em 1996 pela Federação de Jiu-Jitsu, o Campeonato Mundial da modalidade consagrou um seleto grupo de faixas-pretas que, após muito suor derramado no kimono e nos tatames, gravaram seu nome na história ao vencer a categoria absoluto, que permite atletas de todos os pesos.

Confira os lutadores que mais venceram o absoluto faixa-preta do Mundial da IBJJF, pela ordem (de títulos primeiramente, e alfabética em caso de igualdade). Quem foi o seu favorito?

1. Marcus Vinicius “Buchecha” de Almeida (2012/13/14/16)

O aluno de Rodrigo Cavaca nascido em São Vicente, São Paulo, demorou a se decidir entre o surfe e o Jiu-Jitsu, mas sua opção se mostrou acertada. Promissor desde os 19 anos, Marcus Vinicius Buchecha tornou-se o primeiro faixa-preta a vencer três vezes o absoluto consecutivamente, tornando-se tetracampeão mundial em 2016. Peso pesadíssimo com agilidade de um atleta leve, Buchecha fez de sua meia-guarda uma arapuca, capaz de frear os melhores lutadores de sua geração. A partir de um jogo completo, que alia força, explosão, técnica e muita raça, Buchecha passou a não temer nenhuma técnica dos adversários, em pé ou no chão. Adepto de posições tradicionais aliadas a berimbolos modernos, Buchecha confunde qualquer oponente, como seu arquirrival Rodolfo Vieira.

2. Roger Gracie (2007/09/10)

Professor carioca radicado em Londres, o esguio faixa-preta de Carlos Gracie Junior fez fama como o lutador mais eficiente do esporte – no Mundial 2009, por exemplo, o “Cobertor Gracie” asfixiou todos os seus oponentes no torneio. Primeiro tri mundial absoluto, Roger ficou famoso por seu jogo clássico, quase perfeito na defesa e mortal no ataque – seu estilo: cair por cima, passar a guarda e montar. Depois de vencer também o absoluto do ADCC, sem kimono, Roger decidiu se desafiar e migrou para o MMA, chegando até o UFC.

3. Alexandre “Xande” Ribeiro (2006/08)

Irmão mais novo do craque Saulo Ribeiro, Xande desceu de Manaus, a capital do Amazonas, disposto a igualar os títulos do irmão. E o superou, em quantidade de ouros em Mundiais. Com uma guarda quase impassável, Xande trouxe para o tabuleiro do Jiu-Jitsu um componente tático capaz de surpreender sempre – inclusive o velho rival Roger Gracie, derrotado por ele nas finais de 2006 (Rio de Janeiro) e 2008 (Califórnia).

3. Amaury Bitetti (1996/97)

Filho de lutador e formado no famigerado time de competição de Carlson Gracie, o passador de guarda Bitetti conquistou os principais títulos da arte suave em seu tempo, em duelos marcantes com seu arquirrival, Fabio Gurgel. Duro em pé e muito tático – chegou a não lutar a divisão de peso para garantir o absoluto –, o atleta da zona sul do Rio de Janeiro era um dos grandes expoentes do Jiu-Jitsu nos anos 1990, tendo atuado também em lutas de vale-tudo e no UFC.

3. Marcio “Pé de Pano” Cruz (2002/03)

Orgulho da favela de Mata Machado, o guardeiro Marcio Pé de Pano aterrorizou seus contemporâneos com um jogo de pernas que alternava raspagens, triângulos e outras armas que compunham o arsenal do peso pesadíssimo de língua afiada. Pé de Pano aliava um jogo finalizador com divertidas provocações aos rivais, como o amigo Fernando Tererê, e ajudou a atrair popularidade ao Jiu-Jitsu. Como outros craques que reinaram no absoluto, Marcio também lutou no UFC.

3. Rodrigo “Comprido” Medeiros (1999/2000)

Campeão completo desde as faixas coloridas, o lutador carioca formado por Romero “Jacaré” Cavalcanti ficou conhecido por apagar o brilho de outras estrelas do Jiu-Jitsu na virada do século, quando domou o ímpeto de craques como Fernando Margarida, Roberto Roleta e Nino Schembri, e se sagrou bi absoluto.

3. Ronaldo “Jacaré” Souza (2004/05)

Capixaba de Cariacica “exilado” em Manaus após uma infância cercada por amigos barra-pesada, Ronaldo Jacaré teve trajetória fulminante no Jiu-Jitsu, atraindo olhares de toda a comunidade desde a faixa-roxa. Seu jogo, de derrubar, cair no cem-quilos e finalizar quem passava pela frente, chegou ao ápice nos combates épicos contra Roger Gracie, em 2002 (ainda na faixa-marrom), 2004 e 2005. A final do absoluto com Roger em 2004, em que Jacaré resistiu a um armlock e venceu a luta com o braço esquerdo deslocado, é considerada por muitos a melhor luta do Mundial de Jiu-Jitsu de todos os tempos.

8. Bernardo Faria (2015)

Passador de guarda temido e dono de uma das meia-guardas mais complicadas do Jiu-Jitsu, o mineiro de Juiz de Fora é famoso por apostar sempre no mesmo jogo – dando muita pressão nos rivais. O faixa-preta formado pela BTT de Juiz de Fora e adotado pela Alliance consagrou-se no absoluto em 2015, numa campanha quase perfeita em que obrigou o craque Leandro Lo a batucar, num armlock inescapável.

8. Fernando “Margarida” Pontes (2001)

Faixa-preta paulista dono de um jogo imprevisível e ofensivo, Fernando Margarida ficou famoso no Jiu-Jitsu por finalizar e furar as maiores defesas do esporte. Jovem e dono de uma guarda habilidosa e passagens criativas, conquistou seu maior título da carreira, no absoluto em 2001, ao superar na final o altamente técnico Saulo Ribeiro. O lutador paulista foi o primeiro a vencer o peso (meio-pesado) e o absoluto faixa-preta no mesmo Mundial.

8. José Mario Sperry (1998)

Economista de formação e piloto amador, o hoje empresário Zé Mario Sperry consagrou-se no absoluto em 1998, após uma guerra épica com Roberto Roleta. Forte em pé e um trator ao passar a guarda no chão, Sperry provou ser uma das garras mais afiadas do time Carlson Gracie naquele ano – seu rival, Roleta, teve parte do kimono rasgado tamanha a força da pegada poderosa de Zé Mario. Sperry ganharia ainda mais fama mundialmente nos torneios sem kimono em Abu Dhabi e no Pride japonês.

8. Rodolfo Vieira (2011)

Garoto prodígio da GFTeam no Méier, zona norte do Rio de Janeiro, o jovem “rolo compressor” formado pelo professor Julio Cesar Pereira elevou a arte de amassar a um novo nível. Com braços de troncos e uma base em pé forte capaz de ludibriar as raspagens quase inevitáveis do rival Bê Faria, Rodolfo finalizou meio mundo na década de 2010. Conquistou o sonhado absoluto em 2011, em grande estilo, após final contra Bernardo. 

Quer conhecer tudo sobre a história e os bastidores do Jiu-Jitsu? Leia GRACIEMAG, nas melhores bancas do Brasil.


Vídeo: Veja 30 omoplatas de Bernardo Faria no seminário de Jiu-Jitsu September 14 2016

Campeão mundial absoluto na faixa-preta, Bernardo Faria é um desses professores que fica difícil desafiar em alguma coisa. Com um estilo agressivo nos tatames e muita técnica, Bernardo construiu seu nome, e seus seminários se tornaram eventos disputados no mundo todo.

Em uma dessas aulas, o casca-grossa fez uma brincadeira com os alunos. Disse que finalizaria todos eles, usando apenas a chave omoplata. Resultado? 30 braços coletados no golpe.

Confira a peripécia de Be Faria no vídeo abaixo!


Saiba como acompanhar todos os detalhes e bastidores do Mundial 2016 June 03 2016

O craque Bernardo Faria, na foto finalizando o monstrinho Leandro Lo, foi o campeão absoluto em 2015. Foto: John Lamonica

O craque Bernardo Faria, na foto finalizando o monstro Leandro Lo, foi o campeão absoluto em 2015. Foto: John Lamonica

Evento lançado em 1996 pela Federação Internacional (IBJJF), o Campeonato Mundial de Jiu-Jitsu chega a sua 21ª edição em 2016, com os melhores lutadores de chão do planeta disputando pegada a pegada o lugar mais alto do pódio.

A Pirâmide de Long Beach recebe, este ano, atletas de dezenas de países diferentes, e até a faixa-preta, por muitos anos dominada apenas por lutadores brasileiros, conta com uma gama de nacionalidades. Nunca o Mundial foi tão mundial, costumam dizer os professores e organizadores.

De fato, só na faixa-preta há atletas do Brasil, Estados Unidos, Dinamarca, Portugal, Japão, Lituânia, México, Inglaterra, Itália, Espanha, Coreia do Sul, Finlândia, Equador, Suíça e até alguns, que muitos garantem, que não são deste planeta. Quem é o seu craque favorito?

Para acompanhar todas as ações do torneio direto da Califórnia, você pode assinar o site pago FloGrappling.com ou ver os melhores lances no nosso Instagram, o @GRACIEMAG_br, que já conta com cerca de 190 mil praticantes viciados no bom Jiu-Jitsu. Siga lá.

Para reler as melhores matérias sobre o evento, veja a seguir:

Acompanhe a faixa-preta em tempo real no masculino;

As finais da faixa-preta no feminino;

Nicholas e Nathi reinam na faixa-marrom e criam expectativa para a faixa-preta;

Quem brilhou na roxa;

Guarde as chaves da faixa-preta no Mundial 2016;

Peso pesadíssimo domina faixa-azul;

Filho de Cobrinha morde ouro na faixa-roxa; 

Molecada das favelas cariocas sonha mudar de vida via Mundial de Jiu-Jitsu; 

7 conselhos dos árbitros para ir bem no Mundial;

Os faixas-azuis campeões mundiais que viraram astros e até campeões do UFC

Antes do Mundial, Hall da Fama do Jiu-Jitsu condecora mestres e competidores;

Fique ligado no GRACIEMAG.com para saber mais.

Logo Storm


IBJJF Pro League GP reúne grandes nomes do Jiu-Jitsu na UFC Fan Expo June 02 2016

Bernardo, Buchecha, Xande, Galvão, Barral e João Gabriel estão na briga. Foto: Divulgação

Bernardo, Buchecha, Xande, Galvão, Barral e João Gabriel estão na briga. Foto: Divulgação

A IBJJF anunciou nessa quinta-feira, dia 2, que irá realizar seu primeiro IBJJF Pro League GP no dia 9 de julho, em Las Vegas. O evento, que fará parte do UFC Fan Expo, conta com a grande premiação de 50 mil dólares (40 mil para o primeiro colocado e 10 mil para o segundo).

Seis nomes conhecidos dos Jiu-Jitsu mundial já foram escalados para o torneio: Bernardo Faria (Alliance), Marcus Buchecha (CheckMat), André Galvão (Atos), Xande Ribeiro (Ribeiro JJ), João Gabriel Rocha (Soulfighters) e Rômulo Barral (Gracie Barra).

Outras duas vagas designadas para a disputa ainda estão em aberto, com nomes a serem divulgados. Mais informações sobre o evento serão divulgadas em breve.

E para você, amigo leitor, quem deve adentrar a disputa nas duas restantes vagas? Comente conosco!


Mundial 2016: lembre quem são os atuais campeões e faça suas apostas May 21 2016

Bruno Malfacine x Joao Miyao no Mundial 2015 FOTO Ivan

Bruno Malfacine na final peso-galo contra João Miyao em 2015. Foto: Ivan Trindade/GRACIEMAG

Enquanto o planeta Jiu-Jitsu se prepara para a 21ª edição do Mundial da IBJJF, que tem início no próximo dia 1º de junho, na charmosa e consagrada Pirâmide de Long Beach, a equipe GRACIEMAG procura relembrar os feitos dos competidores e suas equipes no ano passado.

Evento lançado em 1996, o Mundial de 2015 foi memorável, com 2.260 atletas inscritos – sendo 178 faixas-pretas de alto gabarito. O grande nome foi o mineiro Bernardo Faria que, com seu ouro no superpesado e no absoluto, ajudou a Alliance a conquistar seu décimo troféu por equipes. Bê Faria tornou-se o 11º faixa-preta a conquistar um absoluto mundial no masculino. Quem vai reinar este ano?

Houve muitos outros lances dignos de nota. O peso-galo Bruno Malfacine e o pesado Xande Ribeiro, por exemplo, fizeram história. Cada um faturou seu sétimo ouro como faixa-preta – Xande é penta no peso e bi no absoluto, enquanto Malfa garantiu um inédito heptacampeonato na mesma divisão, a dos galos.

Já o eterno Wellington Megaton lutou seu 20º Mundial como faixa-preta, e ainda terminou o evento dançando nas arquibancadas, emocionado com o primeiro título de sua filhota Mackenzie Dern na faixa-preta. Mack conquistou títulos em todas as faixas por que passou.

Palco de reencontros, abraços e comércio, o Mundial de 2015 atraiu diversos campeões e ex-campeões do UFC, como Anderson Silva e Lyoto Machida, e mais de 150 kimonos foram vendidos na Pirâmide de Long Beach, só no domingo 31, o último dia.

Relembre os atuais campeões na faixa-preta, e diga: dá para perder a festa este ano, a partir de 1º de junho?

Mundial de Jiu-Jitsu 2015
Pirâmide de Long Beach, Califórnia
Maio de 2015

Faixa-preta masculino

Absoluto: Bernardo Faria venceu Alex Trans por W.O. (Trans sofreu uma contusão no joelho nas quartas de final do pesadíssimo)

Galo: Bruno Malfacine venceu João Miyao por 2 a 1 nas vantagens, após 8 a 8 no placar

Pluma: Paulo Miyao berimbolou e finalizou Daniel Beleza pelas costas aos 3min30s

Pena: Rafael Mendes berimbolou Rubens Cobrinha e venceu por 6 a 0

Leve: Michael Langhi venceu Lucas Lepri (fechamento)

Médio: Claudio Calasans venceu Vitor Oliveira por 8 a 4

Meio-pesado: Leandro Lo venceu Tarsis Humphreys por 7 a 0

Pesado: Xande Ribeiro venceu Lucas Leite por 4 a 2

Superpesado: Bernardo Faria venceu João Gabriel por 8 a 2

Pesadíssimo: Gabriel Fedor venceu Ricardo Evangelista por 3 a 2 nas vantagens (0 a 0)

Faixa-preta feminino

Absoluto: Dominyka Obelenyte venceu Monique Elias por 6 a 2

Pluma: Rikako Yuasa venceu Gezary Matuda por 3 a 2 nas vantagens (4 a 4 no placar)

Pena: Mackenzie Dern finalizou Michelle Nicolini pelas costas

Leve: Bia Mesquita finalizou Fabiana Borges no leglock

Médio: Luiza Monteiro venceu Luanna Alzuguir na decisão dos juízes, após empate em 2 a 2

Meio-pesado: Ana Laura Cordeiro venceu Andresa Correa por 4 a 0

Peso pesado: Dominyka Obelenyte estrangulou Vanessa Oliveira

Superpesado: Fernanda Mazzelli venceu Alison Tremblay por 9 a 0

* Que campeões vão manter seus títulos, amigo leitor? Faça suas apostas!


Bê Faria, Lo, Miyao: Reveja 5 grandes lances do Pan de Jiu-Jitsu 2016 March 23 2016

O Pan de Jiu-Jitsu de 2016 sacudiu a galera em Irvine, na Califórnia, na última semana. Com a presença de grandes astros da arte suave e lutas de tirar o fôlego, o evento provou mais uma vez o motivo de ser tão celebrado pela comunidade do Jiu-Jitsu.

Ponto alto do evento, as finais do faixa-preta adulto foram a cereja do bolo para quem acompanhou os quatro dias de torneio, e nós de GRACIEMAG separamos nossos cinco momento preferidos da competição. Confira conosco e deixe sua opinião nos comentários!

1 – Bernardo Faria x Leandro Lo

2 – Paulo Miyao x Osvaldo Moizinho

3 – Leandro Lo x André Galvão

4 – Dominyka Obelenyte x Samela Lopes

5 – Gezary Matuda x Kristina Barlaan


Pan 2016: Bernardo e Andresa faturam o ouro absoluto; confira os resultados March 21 2016

O astro Bernardo Faria conseguiu, mais uma vez, a façanha de bater Leandro Lo. Foto: Ivan Trindade

O astro Bernardo Faria conseguiu, mais uma vez, a façanha de bater Leandro Lo. Foto: Ivan Trindade

O Pan de 2016 foi para a conta. O charmoso torneio, realizado nos dias 17, 18, 19 e 20 deste mês, chegou ao fim nesse domingo, com um batalhão de astros do Jiu-Jitsu em busca do sonhado ouro na divisão faixa-preta adulto.

Nomes do dia, as feras Bernardo Faria e Andresa Correa, ambos da Alliance, faturaram o ouro absoluto. Bernardo não atuou na categoria de pesadíssimos, na intenção de poupar o corpo para o aberto. Andresa, por sua vez, beliscou o ouro duplo. Confira os detalhes:

Bernardo supera Lo mais uma vez pelo ouro no aberto

Pelo segundo ano consecutivo, Be Faria encontrou Leandro Lo na final do aberto, e o jogo seguiu o mesmo script do ano passado. Bernardo jogou por cima, trabalhou para passar e, com Lo em quatro apoios, colocou os ganchos e atacou a lapela para finalizar no estrangulamento. Este foi o terceiro título absoluto de Bernardo no Pan, algo que nenhum outro faixa-preta tem .

Bernardo falou sobre seus duelos com Lo: “Vou sempre sabendo que posso perder, então eu dou o meu melhor e continuo até chegar do lado. Graças a Deus tem funcionado bem até agora, mas eu tenho todo o respeito por ele”, disse o campeão.

Andresa, por sua vez, não precisou duelar para garantir o ouro do absoluto. Sua adversária, Dominyka Obelenyte, se machucou na final da categoria, deixando caminho aberto para Andresa comemorar no topo do pódio do Pan e também a recente conquista do Europeu:

“Isso tudo é resultado da minha dedicação. Eu dirijo todo os dias da minha cidade até a capital, em São Paulo, para treinar. Chuva, trânsito e frio. Mesmo sendo muito cansativo, eu nunca vou desistir”, declarou.

Veja abaixo os demais resultados das finais do faixa-preta adulto:

Masculino:

Peso-galo: Mikey Musumeci venceu Lucas Santos por 6 a 3 nos pontos
Peso-pluma: João Miyao venceu Gabriel Moraes por 2 a 0 nos pontos
Peso-pena: Paulo Miyao venceu Oswaldo Queixinho por 1 a 0 nas vantagens após 6 a 6 nos pontos
Peso leve: Edwin Najmi finalizou Francisco Sinistro na chave de pé
Peso médio: Yago Souza venceu Vitor Oliveira por 2 a 0 nas vantagens após 4 a 4 nos pontos
Meio-pesado: Leandro Lo venceu Rômulo Barral por 2 a 0
Pesado: Cassio Francis venceu Léo Nogueira por 2 a 0 nos pontos
Superpesado: Luiz Panza venceu Alex Ceconi na chave de pé
Pesadíssimo: André Galvão fechou com Joseph Kahawai
Absoluto: Bernardo Faria finalizou Leandro Lo no estrangulamento

Feminino:

Peso-pluma: Gezary Matuda finalizou Kristina Barlaan no estrangulamento
Peso-pena: Mackenzie Dern venceu Karen Antunes por 4 a 0 nas vantagens, após 4 a 4 nos pontos
Peso leve: Bia Mesquita venceu Tammi Musumeci na decisão dos árbitros após 2 a 2 nos pontos
Peso médio: Luiza Monteiro venceu Michelle Nicolini por 7 a 0 nos pontos
Meio-pesado: Andresa Correa finalizou Leah Taylor na chave de pé
Pesado: Talita Treta venceu Fernanda Mazzelli por 4 a 0
Superpesado: Dominyka Obelenyte finalizou Samela Lopes no triângulo
Absoluto: Andresa Correa venceu por W.O.

Para conferir os resultados completos do evento, clique aqui!

A cobertura GRACIEMAG do Pan de Jiu-Jitsu 2016 foi um oferecimento de BRAZIL COMBAT.


Pan 2016: Bê Faria x Lo e Dominyka x Andresa nas finais do absoluto March 20 2016

O belo exequiel das costas de Be Faria para chegar na final do absoluto. Foto: Ivan Trindade

O belo exequiel das costas de Be Faria para chegar na final do absoluto. Foto: Ivan Trindade

Os faixas-pretas chegaram com tudo para duelar no Pan de 2016. O palco montado em Irvine, na Califa, recebeu grandes astros da arte suave em busca do título absoluto na graduação mais alta do torneio.

Entre os homens, a final fica entre Bernardo Faria e Leandro, em revanche da final de 2015. Já no feminino, Dominyka Obelenyte encara a companheira de Alliance Andressa Correa. Confira os detalhes:

Masculino

O faixa-preta masculino foi um verdadeiro encontro de estrelas, e elas começaram a brilhar logo cedo. Luiz Panza voltou à ativa após meses de recuperação da perna, e conseguiu boas vitórias sobre Kitner Moura, Mahamed Aly

Luiz Panza voltou para seu primeiro grande evento depois de quase um ano de cura de uma perna quebrada. Ele fez o seu caminho para as quartas de final com vitórias sobre Kitner Moura, Mahamed Aly e James Puopolo .

Tim Spriggs estava a todo vapor, e encontrou João Gabriel Rocha do outro lado das quartas . Foi um luta de muito suor e sangue, ja que João sofreu um ferimento na boca. No fim, Spriggs venceu por 5 a 2 nos pontos, conquista esta que foi surpresa para alguns. Antes disso, João Gabriel havia batido o sempre difícil Murilo Santana.

Leo Nogueira chegou às quartas ao bater Alessandro Ferreira com uma raspagem e uma passagem, e logo depois superar Abraham Marte por 6 a 0. Seu próximo adversário seria André Galvão, que havia finalizado Aaron Johnson e Alex Cecconi.

Leandro Lo fez seu caminho até as quartas de final após estrangular Danny Guy da meia-guarda e vencer Guilherme Soares por 3 a 0. Bons amigos , Panza não lutou contra Lo e abriu para a fera por uma vaga na semifinal.

Bernardo Faria foi uma fera. Ele finalizou cada um de seus adversários. Primeiro, ele usou seu sorrateiro leglock da meia-guarda sobre Erza Lenon , em seguida pegou Victor Silverio no triângulo e, finalmente, repetiu o leglock em Gabriel Arges. Na semifinal contra Tim Spriggs , um ezequiel das costas (Foto) foi o que garantiu a vaga de Be Faria na final, mais uma vez.

A semifinal entre Lo e Galvão não foi movimentada como esperávamos, mas Lo foi capaz de raspar e usar seu inacreditável jogo de guarda para segurar Galvão e qualificar-se para a sua terceira final em três anos.

Feminino

Desde a sua impressionante conquista no Mundial de 2015, quando ganhou o peso pesado e o absoluto, Dominyka Obelenyte havia se mantido relativamente longe do circuito de competição. Ela voltou nesse sábado e exibiu seu jogo bem conhecido de pressão e criatividade. A primeira vítima de Dom foi Talita Nogueira, finalizada com um armlock do triângulo . Sua adversária na semifinal seria Mackenzie Dern, vindo de finalização sobre Leah Taylor com uma chave de pé tradicional de seu jogo, e ao bater Fernanda Mazzelli por 2 a 0 nas vantagens depois de uma luta bem complicada. A semifinal foi emocionante e também acirrada. No fim, Dominyka foi capaz de marcar uma a mais que sua adversária, e venceu por 10 a 8 nos pontos.

Do outroo lado da chave, Andresa Correa fianlizou Amanda Loewen com uma chave de pé, e depois Hillary Vanornum com um estrangulamento das costas. Foi aí que Tami Musumeci e Bia Mesquista acabaram desqualificadas por manter a puxada dupla por muito tempo, e Andresa foi direto para a final.

Fique ligado na nossa cobertura in loco e em tempo real no Instagram, e para conferir todos os resultados, clique aqui!

A cobertura GRACIEMAG do Pan 2016 é um oferecimento de BRAZIL COMBAT


Relembre Bê Faria x Leandro Lo na final do absoluto e aqueça para o Pan 2016 March 15 2016

O Pan de Jiu-Jitsu está cada vez mais próximo, e a euforia da comunidade do Jiu-Jitsu cresce a cada dia que passa. O torneio, que rola em Irvine, na Califa, entre os dias 17 e 20, promete um verdadeiro show de combates na arte suave.

E para aquecer as turbinas, GRACIEMAG relembra a emocionante final entre Bernardo Faria (Alliance) e Leandro Lo (Brotherhood) na disputa do ouro absoluto do torneio em 2015.

Confira no vídeo abaixo como Bernardo conseguiu anular as pernas de Lo, passar sua ferrenha guarda e finalizar com a lapela!


7 lições do melhor competidor de Jiu-Jitsu de 2015, Bernardo Faria December 18 2015

Bernardo Faria teve um ano perfeito, com o ouro duplo no Mundial de Jiu-Jitsu, na Califórnia. Foto: Ivan Trindade

Bernardo Faria teve um ano perfeito nos dojôs, com o ouro duplo no Mundial de Jiu-Jitsu, na Califórnia. Foto: Ivan Trindade

Em nossa edição #226, já nas bancas, GRACIEMAG elegeu os lutadores mais impressionantes da temporada 2015 no Jiu-Jitsu de competição. O eleito como melhor competidor do ano por nossa equipe foi o campeão mundial absoluto na faixa-preta, o mineirinho Bernardo Faria, rei da meia-guarda da Alliance.

Entrevistado por nossa equipe diversas vezes ao longo do ano, Bê Faria distribuiu uma série de lições imperdíveis para quem procura evoluir diariamente no Jiu-Jitsu, e quem sabe se tornar um grande campeão na arte suave. Hoje, o GRACIEMAG.com destaca sete destas lições, publicadas originalmente em nossas páginas na revista.

Para ler os artigos completos e não perder outras pepitas e macetes, assine a melhor revista de Jiu-Jitsu do planeta. Visite o GRACIEMAGShop aqui, e saiba como assinar, com descontos.

* Planejando o treino:

O atual campeão mundial absoluto costuma treinar duas vezes por dia. Sua receita é dar seu máximo nessas duas sessões, e procurar descansar bastante entre elas. “Prefiro realizar dois treinos e ir até o meu limite do que treinar quatro vezes por dia sem energia, sem tempo para descansar”, explica a fera. “Ainda mais agora que completei 28 anos, e é preciso se preparar com mais inteligência para evitar contusões”.

* Mude sua mentalidade com o tempo:

Recentemente, Bê mudou sua mente ao treinar. “Adotei uma nova mentalidade de treino que é a seguinte: de onde eu estiver, seja na posição que for, eu preciso estabilizar e logo tentar uma finalização. Por exemplo, se passei a guarda de um colega, eu conto até três, imagino que recebi os pontos, e tento imediatamente um bote para finalizar, sem jamais ficar parado na posição. Isso tem acelerado meu ritmo nos campeonatos, por mais que na hora da luta eu até precise dar uma parada maior. Sinto que estou cada vez buscando mais as finalizações no modo automático”, descreve.

* Otimismo x pessimismo:

“Costumo dizer que sou o cara mais pessimista do mundo e o mais otimista do mundo”, explica o faixa-preta mineiro, que começou a treinar na BTT Juiz de Fora. “Consigo me imaginar perdendo de diversas maneiras para qualquer oponente. Mas também sou otimista a ponto de me ver vencendo todos eles. A vantagem de ser assim como lutador é que nunca menosprezo ninguém, mas também não sinto insegurança. Sou capaz de olhar para um faixa-azul e pensar sinceramente que ele pode me vencer – se eu der bobeira. E consigo olhar para qualquer lutador do mundo e me ver raspando-o e passando sua guarda. Sou assim em tudo que faço, fora ou dentro da academia. Tudo pode dar certo, e tudo pode errado. Há sempre dois lados em qualquer situação, duas possibilidades e dois desfechos. Vitória e derrota, azar e sorte. O que precisamos fazer é trabalhar duro e a sério, para diminuir os riscos”.

* Como se concentrar para a luta:

No Mundial 2015, Bernardo andava sempre pela Pirâmide de Long Beach com seu fone nos ouvidos. No som, um rock do Linkin Park, por vezes um rap agitado do Eminem ou a música “Fort battle”, da trilha sonora do filme “O último dos moicanos”. O som lhe ajuda a pensar somente na próxima luta. A lição é desligar a mente do resto, e ter um objetivo por vez.

* Lidando com as derrotas no treino:

“Campeonatos são divertidos. A parte mentalmente mais desgastante da luta é o treino. É no dia a dia do treino que o cara demonstra ter um lado psicológico acima dos outros. O lutador confiante não é necessariamente o cara que chega e finaliza todo mundo nos treinos – a confiança se mostra quando o cara aceita que para treinar até o seu limite, e ultrapassá-lo, ele será finalizado nos treinos, muitas vezes por lutadores menos graduados, e mesmo assim não deixa aquilo abalar sua confiança”, reflete o faixa-preta da Alliance.

* Escolhendo com quem treinar:

“Quando o treino começa, já no aquecimento eu trato de escolher com quem vou fazer os rolas naquele dia. E sempre escolho os companheiros mais duros que puder. Sei que vou treinar até ficar exausto, sei que vou chegar ao meu limite e que aqueles caras vão passar a minha guarda, vão me dar pressão e vão me finalizar. Só que entendo isso como um treino mental, um sufoco que será crucial para minha evolução, para melhorar o meu gás e minha resistência. O fato de um colega menos graduado finalizar você, e você realizar cinco rolas depois disso, é o que deixa você cada vez mais forte no Jiu-Jitsu. O lutador que passa por isso e permanece confiante no seu jogo está pronto para qualquer desafio. É assim que procuro pensar”, ensina Bê Faria.

* Como parar Leandro Lo:

Numa de suas lutas mais marcantes no Mundial 2015, na semifinal do absoluto, Bê Faria passou a guarda e finalizou o elétrico e temido Leandro Lo. O que ele fez para cumprir esse trabalho para lá de hercúleo? “Contra o Lo, assim como contra qualquer um, meu objetivo é tentar trazer o oponente para o meu jogo o mais rápido possível. Eu não quero de jeito nenhum entrar no jogo dele. Se meu adversário tem um tipo de guarda excelente, não deixo nem que o cara comece a engatilhar a guarda dele”, esclarece.

E você, amigo leitor? O que aprendeu de especial na temporada 2015? Comente com a gente e enriqueça o debate com os demais leitores praticantes de Jiu-Jitsu!