GracieMag - Sensō Jiu Jitsu

GracieMag

Dimitrius Souza e Cássio Francis faturam peso e absoluto no Salvador Open de Jiu-Jitsu November 21 2017

A capital da Bahia viveu um final de semana com o que há de mais fino no Jiu-Jitsu atual. Com o Salvador Open de Jiu-Jitsu da IBJJF, realizado no último final de semana, os soteropolitanos puderam conferir grandes duelos com e sem kimono. Nas disputas de pano, o nome da vez foi Dimitrius Souza. Mantendo…

Keenan Cornelius finaliza Erberth Santos em evento de Jiu-Jitsu nos EUA October 30 2017

Em torneio profissional, Cornelius faturou 15 mil dólares ao vencer Erberth. Foto: SJJIF

Dois craques da arte suave colidiram sem limite de peso neste final de semana, em Long Beach, na Califórnia. Keenan Cornelius, americano conhecido por suas guardas inventivas e finalizações precisas, encarou Erberth Santos, atual campeão mundial peso pesado da IBJJF.

O duelo rolou no SJJIF Worlds, na final do absoluto faixa-preta. Para sair com a vitória, Keenan teve a frieza de se desvencilhar da perigosa guarda 50/50 de Erberth, levantar, puxar para a guarda com lapela, pegar as costas e finalizar no mata-leão.

Veja o lance no vídeo abaixo e estude os movimentos deste belo combate!


Roberto Cyborg brilha no Miami Open de Jiu-Jitsu e fatura ouro duplo October 23 2017

Cyborg no pódio do absoluto. Foto: Reprodução

Dia de muito Jiu-Jitsu e fortes emoções nos EUA, com mais uma edição do Miami Fall Open da IBJJ. Realizado no último final de semana, o torneio reuniu grandes nomes da arte suave na elite da faixa-preta, e o resultado foi uma sequência de grandes lutas.

Destaque entre os professores, Roberto Cyborg mostrou mais uma vez o seu valor de kimono, e garantiu o ouro entre os adultos, tanto no pesadíssimo quanto no absoluto.

Para conquistar o ouro duplo, Cyborg encarou duas vezes o jovem Max Gimenis (GFTeam) e após duas duras batalhas conseguiu superar seu oponente. Vale ressaltar que todas as lutas de Cyborg no absoluto foram vencidas por finalização. Na comemoração, Cyborg teve no pódio a companhia de Seu Roberto, pai da fera.

Outros destaques no torneio ficaram para João Miyao (Cícero Costha), campeão no peso-pluma; Osvaldo Queixinho(Ares BJJ), dono do título nos pesos leves; e Felipinho César (Barbosa JJ), que reinou entre os médios.

Confira abaixo os resultados completos!

BLACK / Adult / Male / Light-Feather

1 – João Ricardo Bordignon Miyao – PSLPB Cicero Costha
2 – Rodrigo da Costa Oliveira – Fight Sports

BLACK / Adult / Male / Feather

1 – Thiago Augusto Araujo Macedo – Rodrigo Pinheiro BJJ
2 – Silvio Duran de Barros Saraiva – Vitor Shaolin BJJ
3 – Brandon Woodly Walensky – Clark Gracie Jiu Jitsu Academy
3 – Kevin Javier Mahecha – American Top Team

BLACK / Adult / Male / Light

1 – Osvaldo Augusto Honorio Moizinho – Ares BJJ
2 – Alexandre Faria Molinaro – Carlson Gracie Team
3 – Breno Henrique Abreu Bittencourt – Ares BJJ Brasil
3 – Kauan Argimon Barboza – Carlson Gracie Team

BLACK / Adult / Male / Middle

1 – Felipe Cesar Silva – BARBOSA JIU-JITSU
2 – Piter Frank Almeida Silva – Alliance
3 – Denis Mitchel Batista Pinto – Fight Sports

3 – Fabricio José Barbarotti – PSLPB Cicero Costha

BLACK / Adult / Male / Medium-Heavy

1 – Nathan Albrecht Mendelsohn – Coalition 95
2 – Vinicius P. Canabarro – RCJ Machado

3 – Pedro Henrique Monteiro Palhares – Luiz Palhares Jiu Jitsu

BLACK / Adult / Male / Heavy

1 – Horlando de Jesus Monteiro – GD Jiu-Jitsu Association
2 – Diego Gamonal Nogueira – Brazilian Top Team – Florida
3 – Charles Kilyan Mcguire – American Top Team
3 – Paulo Bruno Chermont Azambuja – Fight Sports

BLACK / Adult / Male / Ultra-Heavy

1 – Roberto de Abreu Filho – Fight Sports
2 – Max dos Santos Gimenis – GF Team

3 – Thomas Anthony McMahon – Alliance

BLACK / Adult / Male / Open Class

1 – Roberto de Abreu Filho – Fight Sports
2 – Max dos Santos Gimenis – GF Team
3 – Horlando de Jesus Monteiro – GD Jiu-Jitsu Association
3 – Viktor de Araujo K. Doria – Fight Sports

ADCC e Jiu-Jitsu: entramos na era da especialização? October 19 2017

Gordon Ryan, a sensação do ADCC 2017, ataca Keenan Cornelius em disputa sem kimono. Foto: Gallerr.com

O americano Gordon Ryan, sensação do ADCC 2017, ataca Keenan Cornelius em disputa sem kimono. Foto: Gallerr.com

Por Jiuliano Leon *

Durante o ADCC 2017, a copa do mundo da luta agarrada realizada em setembro último na Finlândia, reparei que amigos se surpreendiam com as tantas vitórias de faixas-pretas até então desconhecidos dos fãs do Jiu-Jitsu esportivo. Eu, porém, preferi sorrir, aplaudir e dar os parabéns. Parabéns, comunidade do Jiu-Jitsu; seja bem-vinda à era da especialização no esporte.

O Jiu-Jitsu é um esporte curioso, pois é milenar ao mesmo tempo em que é jovem – em suas raízes, era praticado por samurais no Japão, enquanto o primeiro Mundial de Jiu-Jitsu brasileiro ocorreu em 1996. Sendo assim, segue caminhando a passos largos em direção à maturidade e à evolução, uma evolução que pode nem ter fim.

Sendo assim, será que foi mesmo surpresa ver algumas estrelas consolidadas do Jiu-Jitsu esportivo não tendo o mesmo desempenho nas regras e peculiaridades do ADCC? Será que atletas de menor expressão no mundo do kimono garantirem o pódio é uma zebra galopante?

Peço perdão mas tento responder com algumas perguntas:

Você apostaria seu suado dinheirinho em Usain Bolt numa corrida de 5 mil metros? Ou no nadador Michael Phelps numa prova de travessia marítima?

Eu não faria. E isso não quer dizer que o Bolt não tenha uma técnica perfeita nem que o Phelps não tenha treinado o suficiente. São especializações diversas.

Basta olhar ao redor para entendermos um pouco sobre esses caminhos paralelos do Jiu-Jitsu e do ADCC. Pensemos no futebol, por exemplo.

Talvez o leitor se lembre de como começou o futebol de areia no Brasil e no mundo. As primeiras seleções de futebol de praia (o beach-soccer, em bom português) eram formados por ex-craques do campo na faixa de 40 anos, que conheciam um pouco de praia, caso de Júnior e outros. Veio a massificação do esporte via Fifa e televisão, e surgiram jovens especializados no jogo de bola na areia, sem passagem nenhuma pelos gramados.

Outro exemplo similar vem do voleibol, onde campeões aposentados vestiam a viseira e garantiam troféus e vagas olímpicas entre as duplas de praia. Creio que até no tênis podemos traçar paralelos – há craques muito melhores no saibro do que na grama. Por fim, vale lembrar a evolução do MMA profissional: hoje ninguém pode imaginar que um craque do pano tire o kimono e conquiste do dia para a noite o cinturão do UFC, como nos anos 1990.

A conquista do absoluto por Felipe Preguiça, o novo supercampeonato de André Galvão e o tri de Rubens Cobrinha, claro, tampouco são surpresa, até pelo estudo profundo que os três têm da modalidade sem kimono. Os faixas-pretas que vestirem o kimono terão uma visão sempre mais abrangente, completa e inteligente das técnicas de chão. Mas o ADCC 2017 dá indícios que a dedicação e a especialização em cada modalidade serão um caminho cada vez mais rotineiro para quem quiser vencer naquela modalidade específica. É ver para crer no ADCC 2019.

Minha aposta: em dez anos, os campeões sem kimono serão totalmente diversos dos astros do Jiu-Jitsu esportivo. Indo mais longe, esses dois grupos de lutadores perigam desenvolver costumes, culturas, filosofias de treino e formas físicas diferentes – provavelmente notaremos, de longe, se aquele cara chegando é um atleta do Jiu-Jitsu ou do no-gi.

Bem-vindos à evolução e a profissionalização do esporte.


* Jiuliano Leon é professor de judô e Jiu-Jitsu formado na Alliance Rio.

>>>> Para ler mais sobre o ADCC na Finlândia, garanta a revista digital GRACIEMAG, clicando na imagem a seguir!

Assine GRACIEMAG já, no seu celular!

Chegou a revista digital GRACIEMAG, leia no seu celular!


Jackson Sousa fatura absoluto com e sem kimono no Londres Open de Jiu-Jitsu October 16 2017

Jackson em ação no London Fall Open de kimono. Foto: IBJJF

A capital da Inglaterra recebeu no último final de semana, dias 14 e 15 de outubro, mais uma edição do London Fall Open de Jiu-Jitsu da IBJJF.

O torneio, que sempre movimenta a arte suave britânica, realizou pegados duelos e recebeu grandes feras do nosso esporte, em colisões emocionantes.

Destaque do torneio, Jackson Sousa fez bonito nos dois dias. Depois de vir embalado pelo ADCC 2017, ao entrar de última hora na competição e morder o bronze, o faixa-preta da Checkmat se jogou no London Open e faturou o topo do pódio em três situações.

De kimono, Jackson ficou com o título no peso pesado, ao superar Nicolas Penzer (PAT Academy Belgium), e no absoluto fechou para o time da Checkmat com o peso leve Maximiliano Campos.

Já na disputa sem kimono, Jackson encarou e venceu o duro Charles Negromonte (Zé Radiola) para mais uma vez reinar no topo do pódio.

Veja no vídeo abaixo a luta do absoluto sem kimono entre Jackson Sousa e Charles Negromonte e confira em seguida os campeões na faixa-preta, com e sem kimono!

KIMONO

BLACK / Adult / Male / Rooster

1 – Andrea Verdemare – Flow

BLACK / Adult / Male / Light-Feather

1 – Milton Carlos Bastos P. do Nascimento – Milton Bastos BJJ
2 – Jordy A. Jean Antoon Peute – Gracie Barra
3 – Adam Adshead – Factory BJJ UK
3 – Anderson Ricardo Silva – CheckMat

BLACK / Adult / Male / Feather

1 – Konstantinos Nikolopoulos – Faz Forca Team
2 – Lee Renaut – Carlson Gracie Team
3 – Baruc Martin Barrios – BMB Norwich BJJ Team
3 – Wellington Leal Dias – Gracie Humaita Phoenix

BLACK / Adult / Male / Light

1 – Jacob Williams Mackenzie – GF Team
2 – Krzysztof Marek Suchorabski – Gracie Barra
3 – Ali Seena E. A. Munfaradi – Alliance International
3 – Maxmiliano Oliveira Campos – CheckMat

BLACK / Adult / Male / Middle

1 – Max Leonard Lindblad – CheckMat
2 – Sergio Raimundo Rios da Silva – 99 Nine Nine JJ – International
3 – Gareth Edwin Neale – Gracie Barra

BLACK / Adult / Male / Medium-Heavy

1 – Alec Jerrod Baulding – Alliance Atlanta
2 – Isaac Toledo Dull – Gracie Barra
3 – Andreas M. Sebastian Brosché Jonsson – Frontline Academy
3 – Martin Aedma – SBG Ireland

BLACK / Adult / Male / Heavy

1 – Jackson Sousa dos Santos – CheckMat
2 – Nicolas E. Penzer – PAT Academy Belgium
3 – Oliver Leys Geddes – Roger Gracie

BLACK / Adult / Male / Super-Heavy

1 – Arya Esfandmaz – Gracie Barra
2 – Dean Jon Liebenberg – Vermelho BJJ
3 – Shaun Scott – Mill Hill BJJ

BLACK / Adult / Male / Ultra-Heavy

1 – Alan Vitor Oliveira Ferreira – Qatar BJJ
2 – Marek Pawel Zbrog – Gracie Barra
3 – Hassine Azarkan – Icon Jiu-Jitsu Team 3
3 – Julien Genin – Jiu-Jitsu Gap

BLACK / Adult / Male / Open Class

1 – Maxmiliano Oliveira Campos – CheckMat
2 – Jackson Sousa dos Santos – CheckMat
3 – Arya Esfandmaz – Gracie Barra
3 – Sergio Raimundo Rios da Silva – 99 Nine Nine JJ – International

BLACK / Adult / Female / Light-Feather

1 – Serena Gabrielli – Flow

BLACK / Adult / Female / Middle

1 – Leoni Munslow – New School BJJ

BLACK / Adult / Female / Heavy

1 – Samantha Lea Cook – CheckMat

BLACK / Adult / Female / Open Class

1 – Samantha Lea Cook – CheckMat
2 – Leoni Munslow – New School BJJ
3 – Serena Gabrielli – Flow

SEM KIMONO

BLACK / Adult / Male / Feather

1 – Milton Carlos Bastos P. do Nascimento – Milton Bastos BJJ
2 – Baruc Martin Barrios – BMB Norwich BJJ Team
3 – Enrique de Jesus Villasenor Sarvide – CheckMat
3 – Jordy A. Jean Antoon Peute – Gracie Barra

BLACK / Adult / Male / Light

1 – Maxmiliano Oliveira Campos – CheckMat
2 – Krzysztof Marek Suchorabski – Gracie Barra

BLACK / Adult / Male / Middle

1 – Darragh O Conaill – ECJJA
2 – Ali Seena E. A. Munfaradi – Alliance International

BLACK / Adult / Male / Medium-Heavy

1 – Charles Negromonte Santos – ZR Team Association
2 – Alec Jerrod Baulding – Alliance Atlanta
3 – Isaac Toledo Dull – Gracie Barra
3 – Joachim Sveinson – Frontline Academy

BLACK / Adult / Male / Heavy

1 – Nicolas E. Penzer – PAT Academy Belgium

BLACK / Adult / Male / Open Class

1 – Jackson Sousa dos Santos – CheckMat
2 – Charles Negromonte Santos – ZR Team Association
3 – Darragh O Conaill – ECJJA
3 – Sergio Raimundo Rios da Silva – 99 Nine Nine JJ – International

 

Chegou a revista digital GRACIEMAG. Clique abaixo e leia no seu celular!

Assine GRACIEMAG já, no seu celular!


Guto Campos: 6 lutas, 6 finalizações e ouro duplo no Floripa Open de Jiu-Jitsu October 13 2017

Guto Campos e seu ouro duplo. Foto: Arquivo pessoal

Professor GMI líder da Guetho Jiu-Jitsu, Guto Campos tem na sua essência a sede de vitórias de um grande competidor.

Com títulos expressivos na arte suave internacional, a fera entrou em ação para apoiar os seus alunos no Floripa Open de Jiu-Jitsu, realizado no último final de semana, e vibrou com sua atuação no torneio.

Guto conquistou duplo ouro no master 2, com o título no meio-pesado e também no absoluto. Para chegar ao topo do pódio, o atleta fez seis lutas, três no peso e três no absoluto, e finalizou todas, cada qual com uma transição diferente.

Mesmo com o sucesso na competição de forma avassaladora, Guto Campos não deixou de comemorar a atuação de seus alunos, que o motivam em cada conquista.

Guto declarou em suas redes sociais: “Entre vitórias e medalhas, o que me deixou mais feliz no último final de semana foi ver a união demonstrada pela família Guetho durante toda a competição. Vocês são a minha inspiração e a minha força, muito obrigado por toda energia positiva e suporte de sempre. Vocês são simplesmente os melhores!”

No vídeo abaixo, veja as seis finalizações de Guto Campos que valeram duas medalhas de ouro para craque!

Chegou a revista digital GRACIEMAG. Clique abaixo e leia no seu celular!

Assine GRACIEMAG já, no seu celular!


Absoluto no ADCC 2017, Felipe Preguiça recorda: “Eu era desajeitado no Jiu-Jitsu” October 03 2017

Felipe Preguiça ataca Gordon Ryan na primeira luta de ambos, em foto de Luca Atalla/ Gallerr.com.

Preguiça ataca as costas Gordon Ryan na primeira luta de ambos, em foto de Luca Atalla/ Gallerr.com.

Após a consagração de Felipe Pena, de 25 anos, na maratona do absoluto do ADCC 2017, em fins de setembro na Finlândia, uma foto viralizou na internet. Postada por seu primeiro mestrão, Vinicius Draculino, a imagem mostrava o popular Preguiça vestindo um kimono meio largão, o rosto mostrando um faixa-branca sonolento e pouco empolgado de estar na academia Gracie Barra-BH. Um contraste evidente e emocionante com o Felipão de hoje em dia, uma máquina de competir no Jiu-Jitsu com e sem kimono, com o olhar focado e uma técnica bonita, veloz e apavorante.

“Eu acho que no início não levava mesmo muito jeito, não”, diverte-se Felipe Preguiça, em papo com o GRACIEMAG.com. “Eu não gostava muito de treinar quando comecei, e ficava mais encostado na parede, trocando ideias com os amigos. Por isso ganhei o apelido de Preguiça. Mas depois de um tempo, persistindo, peguei gosto e fui aos poucos aumentando o tempo dos treinos, até que comecei a competir, fui me empolgando… Até chegar hoje (risos).”

Se você conhece algum iniciante meio desajeitado, mostre esta entrevista para ele, e cuidado: você pode estar treinando com o próximo monstro do ADCC.

GRACIEMAG: Qual foi o maior obstáculo até o topo do absoluto, neste ADCC 2017 na Finlândia?

FELIPE PREGUIÇA: Acho que o complicado no ADCC não é a quantidade de lutas, mas a duração delas. A gente sabe que alguns combates podem durar 20 minutos, e as finais 40 – como fiz com o Rodolfo Vieira no ADCC 2015 em São Paulo. É desgastante mesmo. O bom é que em 2015, apesar de ficar com a prata e não lutar o absoluto – combinamos que o Rominho Barral lutaria o absoluto naquela ocasião – aprendi bastante, tive um gostinho bom. Percebi as regras diferentes com que eu devia me preocupar (chaves de calcanhar etc) e colhi as lições este ano. Ia dormir e acordava pensando no título.

Você é uma inspiração para os praticantes que gostam de atacar nas costas. E, talvez, principalmente, para os que não gostam, né? Qual é o macete?

Pois é, fiz oito lutas no total na Finlândia, e em seis delas eu terminei nas costas. Em todas as quatro lutas do absoluto eu pontuei ou finalizei de lá. Acho que desde a faixa-azul eu tenho esta gana de pegar as costas, uma habilidade que desenvolvi há tempos treinando com kimono e hoje me ocorre com facilidade nas lutas. Eu hoje sinto que consigo enxergar o caminho para as costas dos oponentes com muita clareza. E de muitas posições diferentes – por cima, por baixo… É treino mesmo, eu acho.

Como analisa seu oponente na final, quando você meteu 6 a 0 (costas) contra o meteoro americano Gordon Ryan, surgido lá na academia do Tom DeBlass?

Ele é um cara que realmente mostra um jogo intrincado sem kimono, treina muito chaves de joelho e calcanhar, o que surpreende os competidores do Jiu-Jitsu esportivo. Ele começou a aparecer na mídia ao desafiar os outros pela internet, e tem mesmo um jogo forte. Mas nesse evento ele provou ter um jogo bem completo, pois ninguém consegue ser campeão sabendo só um ou outro aspecto da luta de chão. Foi nossa segunda luta: na primeira, ele me desafiou sem kimono, nas regras dele, sem tempo, e eu aceitei – treinei muito e consegui finalizá-lo. Agora estou esperando ele aceitar meu desafio: uma luta com kimono comigo. Quem sabe esta luta não sai?

Qual foi sua luta mais complicada das oito?

Acho que o Rafael Lovato Jr. foi meu oponente mais difícil, ele fez uma estratégia boa, conseguiu imprimir um antijogo bom, digamos, e anular bem minhas investidas por baixo. A tática dele minou um pouco meu gás. Contra o Yuri Simões, na final até 99kg, eu estava me sentindo bem mas ele está de parabéns. Achei que os árbitros deram os pontos equivocamente, rápido demais, mas não tiro os méritos dele, que foi bicampeão no evento. Foi um prazer lutar com ele, está 1 a 1 entre nós, espero que demos ainda muito espetáculo para os torcedores.


Jackson Sousa e Michelle Nicolini faturam ouro duplo no Pan Sem Kimono da IBJJF October 02 2017

Jackson Sousa com as medalhas douradas do super pesado e do absoluto. Foto: Reprodução

Além dos duelos sem pano do Brasileiro Sem Kimono da CBJJ, realizado no Tijuca Tênis Clube nesse final de semana, outra legião de astros deixou o paletó e a calça de algodão no armário para vestir suas roupas de lycra, só que dessa vez nos EUA.

Em mais uma edição de tirar o fôlego, o Pan de Jiu-Jitsu Sem Kimono da IBJJF foi realizado em Nova York, no último dia 30 de setembro.

Jackson Sousa e Michelle Nicolini, ambos representantes da Checkmat, ficaram com ouro duplo na competição.

No masculino, Jackson, embalado pelo bronze no ADCC 2017, venceu primeiro no peso super pesado, ao bater Eliot Kelly (Yamaso BJJ), para em seguida entrar no peso aberto e superar Diego Ramalho (ZR Team).

Michelle e Catherine completaram a festa ao fechar o absoluto feminino para a Checkmat. Foto: Reprodução

No feminino, Nicolini faturou o peso leve ao vencer Jéssica Santos (Elite BJJ Redmond) e em seguida fez a festa com a companheira de equipe Catherine Perret, campeã no peso médio, ao fechar o absoluto para o time da Checkmat.

Outros destaques no torneio ficaram para João Miyao (Cícero Costha), campeão no peso-pluma; Gianni Grippo (Alliance), campeão no peso-pena; e Renato Canuto (Zenith BJJ), campeão peso leve.

Veja abaixo os pódios do Pan de Jiu-Jitsu Sem Kimono!

BLACK / Adult / Male / Rooster

1 – Lucas dos Santos Pinheiro – AMBJJ – Alex Martins Brazilian Jiu-Jitsu
2 – Ronald Stephen Henderson Jr. – CheckMat

 

BLACK / Adult / Male / Light-Feather

1 – João Ricardo Bordignon Miyao – PSLPB Cicero Costha
2 – Eduardo Barboza da Silva – GF Team
3 – Adam Paul Ferrara – GF Team
3 – Rodrigo da Costa Oliveira – Fight Sports

 

BLACK / Adult / Male / Feather

1 – Gianni Paul Grippo – Alliance
2 – Shane Jamil Hill-Taylor – Team Lloyd Irvin
3 – Nicolas Jean Paul Renier – GF Team
3 – Silvio Duran de Barros Saraiva – Vitor Shaolin BJJ

 

BLACK / Adult / Male / Light

1 – Renato Forasieppi Alves Canuto – Zenith BJJ – Las Vegas
2 – Frederico Augusto Alves Silva – Alliance
3 – Alexandre Faria Molinaro – Carlson Gracie Team
3 – Francisco Daniel Pires Tavares – SAS Team USA

 

BLACK / Adult / Male / Middle

1 – Dante Leon – GF Team
2 – Eduardo Rios – Frontline Academy
3 – Joshua Aaron Bacallao – Academia Jiu-Jitsu
3 – Tyler Benjamin Steppe – Alliance

 

BLACK / Adult / Male / Medium-Heavy

1 – Lucas Rocha de Freitas – ZR Team California
2 – Jonathan T. Satava – Alliance
3 – Diego Dias Ramalho – ZR Team California
3 – Vinicius P. Canabarro – RCJ Machado

 

BLACK / Adult / Male / Heavy

1 – Thomas Alban Jules Loubersanes – Cercle Tissier
2 – Todd Brandon Mueckenheim – Soca BJJ
3 – Diego Gamonal Nogueira – Brazilian Top Team

 

BLACK / Adult / Male / Super-Heavy

1 – Jackson Sousa dos Santos – CheckMat
2 – Eliot Andrew Kelly – Yemaso Brazilian Jiu-Jitsu

 

BLACK / Adult / Male / Ultra-Heavy

1 – Aaron Michael Johnson – Unity Jiu-jitsu
2 – Matthew W Leighton – Bonsai JJ – Chicago
3 – Oleksandr Karliychuk – Renzo Gracie Academy

 

BLACK / Adult / Male / Open Class

1 – Jackson Sousa dos Santos – CheckMat
2 – Diego Dias Ramalho – ZR Team California
3 – Dustin Baradaran Akbari – Cassio Werneck BJJ
3 – Joshua Aaron Bacallao – Academia Jiu-Jitsu

 

BLACK / Adult / Female / Feather

1 – Amanda Monteiro Nogueira – GF Team
2 – Patrícia Maria N. Fontes dos Santos – CheckMat
3 – Ana Talita de Oliveira Alencar – Alliance Los Angeles
3 – Fiona M. Watson – Fight Club Jiu Jitsu

 

BLACK / Adult / Female / Light

1 – Michelle Zonato Nicolini – CheckMat
2 – Jessica Cristina C. A. dos Santos – Elite Brazilian Jiu Jitsu Redmond
3 – Aarae Alexander – Team Lloyd Irvin

 

BLACK / Adult / Female / Middle

1 – Catherine Fuhro Perret – CheckMat
2 – Anna Sophia Maria Nordenö – Hilti Fight Center
3 – Renata Marinho Moreira – Alliance

 

BLACK / Adult / Female / Super-Heavy

1 – Alison Victoria Tremblay – Brazilian Top Team

 

BLACK / Adult / Female / Open Class

1 – Michelle Zonato Nicolini – CheckMat
2 – Catherine Fuhro Perret – CheckMat
3 – Alison Victoria Tremblay – Brazilian Top Team
3 – Jessica Cristina C. A. dos Santos – Elite Brazilian Jiu Jitsu Redmond

Jiu-Jitsu: O estrangulamento de Erberth Santos pelo ouro absoluto do São Paulo Open September 26 2017

Erberth comemora mais um ouro e os pontos acumulados no ranking. Foto: Marco Aurélio/IBJJF

O São Paulo Open de Jiu-Jitsu, realizado neste mês de setembro, recebeu grandes nomes do Jiu-Jitsu em duelos de tirar o fôlego. E uma dessas batalhas foi a final do absoluto faixa-preta masculino adulto.

De um lado, Erberth Santos, que por não conseguir bater o limite de sua categoria lutou apenas na divisão de peso aberto. Do outro, Dimitrius Souza, que já havia conquistado o ouro naquele dia ao bater Hebert Junior (Gracie Barra) na divisão de peso pesado.

A colisão entre o primeiro e o quinto colocados no ranking faixa-preta da IBJJF parou o ginásio José Correa em Barueri, mas quem levou a melhor foi Erberth, ao finalizar Dimitrius no estrangulamento arco e flecha com pouco mais de um minuto de luta.

Veja como foi o duelo no vídeo abaixo e confira mais detalhes do torneio aqui!


Resultados ADCC 2017: Felipe Preguiça finaliza Buchecha e é campeão absoluto September 24 2017

Felipe Preguiça comemora vitória sobre Gordon Ryan com seus companheiros da Gracie Barra. Foto: Luca Atalla/Gallerr

Depois de definir os campeões do ADCC nas suas respectivas categorias de peso, era chegada a hora da frenética disputa do absoluto no ADCC 2017, que rolou neste domingo, dia 24, em Helsinque, na Finlândia.

Com poucos minutos ou nenhum tempo para o descanso entre as batalhas, dependendo do caso, e com alguns atletas recém saídos do tatame nas disputas de peso, a disputa do aberto foi um show à parte para quem acompanhou as lutas na Espoo Arena. Nomes como Marcus Buchecha, Felipe Preguiça, Xande Ribeiro, Celsinho Venícius, Mahamed Aly, Dillon Danis e Chael Sonnen entraram na disputa, mas foi Preguiça quem brilhou na complicada chave de peso livre.

Para conquistar o ouro, Felipe fez quatro lutas, além das outras duas que já havia feito no mesmo dia na disputa até 99kg. Preguiça bateu Celsinho Venícius e Victor Honório para chegar na semifinal contra o campeão acima de 99kg Marcus Buchecha.

Favorito ao título, Buchecha se viu em maus lençóis ao permitir o avanço de Preguiça. Visivelmente cansado, Buchecha não conseguiu evitar que Preguiça chegasse em suas costas, posição na qual encaixou o mata-leão para finalizar aos 6min44s do duelo.

Do outro lado da chave, Gordon Ryan avançou com força total. O americano finalizou Roberto Cyborg na chave de calcanhar, em seguida pegou Craig Jones no kata-gatame e depois Mahamed Aly no leglock.

Para a finalíssima, Felipe teve de defender algumas investidas no pé aplicadas por Gordon, especialista no assunto. Contudo, em uma dessas defesas, Preguiça usou a posição do oponente para escorregar até as costas e trabalhou para finalizar. Sem conseguir pegar no mata-leão, ficou com o título absoluto após somar 6 a 0 com os ganchos pelas costas.

Agora, Preguiça fica definido para encarar André Galvão, campeão da superluta deste ano, na edição do ADCC em 2019.

Renzo Gracie e Chael Sonnen vencem superlutas

Além das finais e das disputas do absoluto, duas superlutas entre veteranos da luta agarrada rolaram. Na primeira disputa, Renzo Gracie voltou a encontrar Sanae Kikuta, ex-adversário do Pride.

Renzo partiu para tentativas de queda, enquanto Kikuta parecia buscar o jogo no erro do oponente. O duelo foi disputado quase completamente em pé, com trocas de pegada que procuravam uma brecha. No fim das contas, Renzo foi declarado vencedor por 1 a 0 nas punições.

Na superluta seguinte, Leozinho Vieira encarou Chael Sonnen. Confiante em sua guarda, Leozinho jogou com as costas no solo, enquanto Sonnen fazia tentativas de passagem. O duelo se estendeu desta forma no tempo regulamentar e nos dois tempos extras. Ao fim da disputa, Chael Sonnen ficou com a vitória na decisão dos árbitros.

Chegou a revista digital GRACIEMAG, clique abaixo e leia no seu celular!

Assine GRACIEMAG já, no seu celular!