GracieMag - Sensō Jiu Jitsu

GracieMag

Ex-campeão do UFC, Matt Hughes sofre grave acidente e está em coma June 17 2017

Hughes encara dura batalha fora dos cages. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

Integrante do Hall da Fama e ex-campeão peso meio-médio do UFC, Matt Hughes passa por uma das maiores batalhas da sua vida. O atleta sofreu um grave acidente de carro nesta sexta-feira, dia 16, e foi levado de helicóptero para o hospital nos EUA. A colisão ocorreu após seu caminhão ser abalroado pelo lado do carona por um trem.

Segundo informações do MMA Junkie, Hughes está em coma, mas em pleno atendimento no hospital que lhe recebeu. Maiores informações ainda não foram divulgadas em respeito à família do atleta.

Hughes, 43 anos, fez 54 lutas profissionais no MMA, com 45 sucessos, e se aposentou em 2013. Para seu próximo compromisso na luta, Matt estava definido para encarar Renzo Gracie na superluta do ADCC. GRACIEMAG entrou em contato com oficiais do ADCC e eles estudam um novo oponente para Renzo.

E para você, amigo leitor, quem deve substituir Matt Hughes em um possível duelo contra Renzo Gracie no ADCC 2017? Comente conosco.


Vídeo: Faixa-roxa aos 73 anos, seu Narciso fala da alegria de lutar Jiu-Jitsu com filho January 10 2017

O senhor Narciso Melo Teixeira, no auge de seus 73 anos, é um daqueles exemplos práticos de quão fascinante é este tal de Jiu-Jitsu. Após chegar à academia do nosso GMI Raphael Abi-Rihan, levado pelo filho faixa-preta Cristiano, Seu Narciso começou a colher os benefícios da arte suave, como o mesmo conta.

“Eu pratico artes marciais há muitos anos. Para lutar Jiu-Jitsu, porém, eu preciso de boa alimentação e manter minhas atividades físicas. Eu nado e faço yoga. Tudo isso me prepara para ser um jiu-jiteiro”, disse o sorridente recém graduado faixa-roxa.

E você, amigo leitor, o que acha do exemplo do jovial Narciso e sua faixa-roxa novinha? Confira o depoimento do atleta neste vídeo, editado por Daniel Amaral, e poste nos comentários a mudança que o Jiu-Jitsu fez na sua vida!


Jiu-Jitsu contra a violência sexual: 8 formas para mulheres se defenderem November 23 2016

Arte marcial que contempla pessoas de todas as idades, biótipos ou gêneros, o Jiu-Jitsu tem a característica de ser tão democrático quanto funcional. Para tanto, a arte suave é extensamente procurada por mulheres que buscam se defender com eficiência numa situação real de abuso.

Casos de agressão, abuso sexual e estupro não são raros nos noticiários, e boa parte das vezes o agressor se faz valer apenas do tamanho ou força muscular, algo que não amedronta um atleta bem treinado e pronto para colocar sua perícia em prática num momento de extrema necessidade.

Para ilustrar a situação, nosso professor GMI Matheus Zimmermann, da Top Brother Sul, escalou sua aluna faixa-azul para mostrar oito situações de ataque nos quais uma pessoa treinada se coloca em plenos poderes de exercer seu direito de autodefesa.

Confira os movimento no vídeo abaixo e procure já uma academia conceituada para aprender a se defender hoje!

Top Brother Sul
Av. Dr. Figueiredo Mascarenhas, 02
Três Vendas, Pelotas
# (53) 3305-5494
contato@topbrotherpelotas.com
www.topbrothersul.com


Vídeo: Conheça Igor, o atleta do Jiu-Jitsu que encara o autismo no tatame May 19 2016

Destaque no Jornal Hoje desta semana, o jovem Igor Nogueira de 21 anos, mostrou um pouco de sua rotina no Jiu-Jitsu. Seria uma matéria qualquer, a não ser pelo fato de que Igor luta contra as barreiras do autismo diariamente, e a arte suave lhe deu uma nova vida.

Com aversão ao toque e interesses sociais limitados, Igor vivia em um mundo totalmente paralelo. Ao conhecer o esporte, se tornou mais sociável, dinâmico e com claras melhoras em sua coordenação motora, benefícios adquiridos nos benditos tatames da vida.

Mais uma vez o Jiu-Jitsu mostra o seu poder de mudar pessoas. Confira a matéria completa no vídeo abaixo e surpreenda-se com a magia da arte suave!


GRACIEMAG #216: Flavio Behring explica por que é contra dar a faixa-preta no pódio March 01 2015

Flavio Behring em foto de Divulgacao

Behring é o entrevistado do mês em GRACIEMAG: “Não exijo que meus faixas-pretas sejam campeões, o que não aceito é que cometam falhas elementares ao ensinar”. Foto: Divulgação/FlavioBehring.com

Não foram poucos os leitores que nos enviaram opinião idêntica: a GRACIEMAG #216, que está nas bancas, foi uma das melhores e mais esclarecedoras edições dos últimos tempos da sua revista de Jiu-Jitsu favorita.

Da imagem da capa, produzida pelo faixa-preta da fotografia Reginaldo Almeida, à seção Antologia que fecha a publicação, com Marcelo Garcia, GRACIEMAG trouxe uma série de lições e dicas vitais para quem quer turbinar seu Jiu-Jitsu e progredir na arte suave. Mas poucos artigos receberam tantos elogios quanto a entrevista com Flavio Behring, faixa-vermelha com opiniões sólidas sobre o ensino da arte marcial que aprendeu com Helio Gracie.

(Saiba como assinar, aqui.)

Entre uma lição e outra, o pai de Marcelo e Sylvio Behring explicou por que se incomoda quando vê um faixa-marrom duríssimo receber sua faixa mais escura no pódio de um campeonato.

“Sou contra graduar lutador no pódio de campeonatos. O que ocorre é que, para mim, graduação não se dá por performance, por atuação. Eu graduo um aluno por competência, o que significa que ele acumulou um lastro, uma coleção de saberes. Ganhar uma medalha de ouro é apenas um segmento do Jiu-Jitsu. Uma medalha tem simbolismo momentâneo, pois a vitória é efêmera. Na escola, ninguém passa de ano só por saber matemática e tirar zero em todas as outras disciplinas, certo? É a mesma coisa. Um dos principais critérios para mim é saber e ensinar bem autodefesa, um pilar do Jiu-Jitsu”, explica grande mestre Behring, para em seguida completar:

“Outro aspecto fundamental é que o professor de Jiu-Jitsu precisa ter competência para ensinar. Saber história da arte, estudar. Saber nomenclatura, por exemplo. Ele não pode mostrar uma posição e dizer “aqui em pé você faz o ganchinho”. É osotogari. Percebo que hoje muito lutador sabe mostrar o que ele faz e exibir posições, ou se exibir, como vemos nos tantos vídeos pela internet. O professor não precisa ser acrobata, precisa saber ensinar. Tem de saber a origem daquela posição, qual é o objetivo do movimento. Jiu-Jitsu precisa ser visto e ensinado como a arte científica e altamente consistente que é. Não exijo que meus faixas-pretas sejam campeões, o que não aceito é que eles cometam falhas elementares ao ensinar.”

E você, amigo leitor? Como vê o ato de receber ou entregar a faixa-preta no pódio de um campeonato? Comente! Leia GRACIEMAG, comente e saiba mais.

(Assine GRACIEMAG, aqui.)


Vídeo: veja a rotina do campeão de superação Kelvin Clay e vá treinar Jiu-Jitsu! January 28 2015

Sem deixar que a atrofia muscular ficasse no caminho de seus sonhos, o faixa-azul Kelvin Clay, campeão de superação da Gracie Barra, virou reportagem no SBT.

O atleta de Valparaíso, em Goiás, faz os seus treinos como um competidor qualquer. Não deixa o aquecimento de lado e vai com tudo na hora de dar seus rolinhas. Nos torneios, apenas duas várias conquistas vieram em campeonatos para atletas especiais, sendo a maioria em torneios comuns.

Confira no vídeo abaixo um pouco mais da rotina de treinos de Kelvin e não procure mais desculpas. Vá treinar!


Força bruta x técnica: o desafio entre um halterofilista e um atleta do Jiu-Jitsu August 21 2014

Será que a técnica supera a força bruta? Está mais do que provado que um atleta de técnica mais apurada na maioria das vezes consegue subjugar aquele adversário cheio de músculos e pouco jeito. Por mais que a força, hoje em dia, seja a diferença entre a vitória e derrota num torneio de Jiu-Jitsu, a pujança não supera a habilidade.

No vídeo abaixo, podemos conferir um desafio entre um halterofilista e um lutador de Jiu-Jitsu, nas regras da arte. O resultado? Assista e descubra! (Começa em 1min13s do vídeo)

Koral_banner_site_rodape