De médico e campeão, todo mundo conhece um na academia October 07 2015

Muricy costuma dar plantão nos hospitais. E também nos pódios de Jiu-Jitsu. Foto: Divulgação

Muricy costuma dar plantão nos hospitais. E também nos pódios de Jiu-Jitsu. Foto: Divulgação

De médico e louco, todo mundo tem um pouco. E todo mundo conhece um na academia de Jiu-Jitsu. Na escola Ushirobira JJ, em Ribeirão Preto, São Paulo, o médico Mário Muricy também é maluco – mas pelo Jiu-Jitsu. E já começou a brilhar nas competições que disputou.

Muricy, que é ultrassonografista e médico do trabalho, conquistou, no último fim de semana, três medalhas de ouro no Floripa Open, organizado pela IBJJF em Santa Catarina.

Apesar da rotina, Mário consegue treinar todos os dias com seu professor e técnico André Ushirobira, nosso GMI.

Em Florianópolis, o atleta master tirou o jaleco e competiu na categoria faixa-roxa pesado (até 91kg) e venceu a disputa por peso, absoluto e o sem kimono absoluto, repetindo a atuação do SP Open.

No peso com pano, a medalha veio após uma guilhotina em seu oponente. Na disputa sem kimono, o “médico atleta” venceu com uma chave kimura. “Eu tento não pensar em ser campeão, e fazer uma luta de cada vez, mas sempre vou confiante tentando impor meu jogo. É claro que a dificuldade sempre existe, mas quando trago a luta para a minha estratégia, a confiança cresce, pois é o que eu treino muito. Dedico essas medalhas ao meu professor Ushirobira e aos meus colegas de treino”, agradece.

Apesar de estar sempre brincando com os outros atletas no treino, Muricy não perde nenhum treinamento. “Ele é um atleta aplicado e aprende fácil as técnicas. Ainda fico surpreso de como ele consegue atender plantões, treinar e competir em alto nível. Gosta muito de brincar com os outros companheiros. É uma pessoa bem hiperativa”, diz o professor Ushirobira.

“Minha namorada falou que eu deveria fazer Jiu-Jitsu, pois eu não parava quieto. O irmão dela já treinava e decidi começar. O pessoal me recebeu muito bem e fiz muitas amizades. O Jiu-Jitsu é viciante. Eu era fã de futebol e hoje nem acompanho mais”, explica o doutor de ouro.

E você, tem um médico na sua academia? Comente e conte uma história curiosa sobre os doutores com quem você treina.

Quer divulgar os feitos de sua academia? Envie seu email para gmi@graciemag.com e saiba como!