Seletiva para Abu Dhabi cria categoria para atletas com necessidades especiais January 22 2014

As cobiçadas medalhas da seletiva. Foto: Diego Cunha | Pro Sports

As cobiçadas medalhas da seletiva. Foto: Diego Cunha | Pro Sports

Dever cumprido com sucesso. Foi esse o sentimento de todos que participaram da inédita seletiva de São Paulo para o torneio internacional profissional de Abu Dhabi, o WPJJC 2014. Mais de 10 mil pessoas passaram pelo ginásio de esportes Prefeito José Liberatti, em Osasco, ao longo dos três dias de competição. Lutas emocionantes e disputas acirradas marcaram as conquistas dos 23 pacotes com todas as despesas pagas ao evento dos Emirados Árabes, definido para 16, 17, 18 e 19 de abril. Para relembrar todos os campeões, releia o artigo em GRACIEMAG, aqui.

“Quebramos todos os recordes em termos de competidores, de espectadores, de premiação, e entregamos mais de 100 mil dólares em pacotes aéreos, hospedagem, alimentação para Abu Dhabi. Havia uma grande expectativa para essa seletiva, justamente por São Paulo ser um cenário muito forte no Jiu-Jitsu do país. O resultado foi amplamente positivo, e os 23 atletas que ganharam o passe-livre para os Emirados vão representar muito bem o Brasil lá. Agora temos mais um mês para finalizar a preparação para a seletiva de Gramado”, analisou o faixa-preta Fernando Paradeda, organizador do torneio.

Ao todo serão dez seletivas ao redor do mundo. Cidades como Los Angeles, Nova York, Montreal, Londres, Varsóvia, Tóquio e Sydney também estão no circuito.

A segunda peneira no Brasil será na cidade de Gramado, no Rio Grande do Sul, nos dias 14, 15 e 16 de fevereiro. As inscrições ficam abertas até o dia 7 de fevereiro, no site da empresa Pro Sports.

Neste ano, a novidade fica por conta de uma categoria extra, exclusiva para atletas com necessidades especiais.

“Gramado está no circuito há mais tempo, se consolidou como etapa de ponta. Esperamos um evento de luxo, como sempre foi até hoje. É mais uma oportunidade para que 23 atletas garantam presença nos Emirados Árabes com todas as despesas pagas. Nossas experiências no Rio Grande do Sul nos levaram a criar essa categoria para atletas com necessidades especiais. Vemos no Jiu-Jitsu uma oportunidade de inclusão social importante”, completou Lucas Sach.