Alexandre Soca analisa “trilogia” contra Robinho Moura no Abu Dhabi Legends April 15 2016

Alexandre "Soca" foi um dos escalados para o ABu Dhabi Legends. Foto: Divulgação

Alexandre “Soca” foi um dos escalados para o ABu Dhabi Legends. Foto: Divulgação

Dois dos mais técnicos pesos-penas da antiga, Alexandre “Soca” Freitas e Robson Moura estarão novamente frente a frente. No último dia do WPJJC 2016, no domingo 23 de abril, será realizado o Abu Dhabi Legends, um duelo entre renomados atletas do Jiu-Jitsu em três lutas casadas para o deleite do fã da arte suave, e um destes combates será o reencontro de Soca com Robson Moura. O terceiro duelo entre ambos. Nas demais lutas, Marcio Pé de Pano luta com Rodrigo Comprido e Vitor Shaolin enfrenta Daniel Moraes.

Cria da Gracie Barra e fundador da academia Soca BJJ, Alexandre dedicou a última década para ensinar, mas o novo duelo com Robinho reacendeu a chama de competidor no casca-grossa, que conversou com GRACIEMAG sobre o combate e suas expectativas para atuar mais uma vez em Abu Dhabi.

No papo, Soca disse que o confere tem tudo para ser um dos grandes da noite, e que, apesar das suas obrigações como professor, seu gás vai estar excelente.

“Hoje em dia, apesar de mais velho e de ter muitas outras obrigações, me sinto muito melhor competidor do que antigamente, e até mais preparado fisicamente. Faço um trabalho de condicionamento físico aqui na academia, com a minha esposa, e tenho um bom ritmo de treino com os alunos. Nos últimos três anos ganhei todos os eventos internacionais em minha categoria”, disse a fera.

Ele também analisou as qualidades de Robinho, cria da Nova União, que estará do outro lado do tatame. Soca relembrou os duelos anteriores e fez sua projeção da luta.

“Nós já lutamos duas vezes. Na primeira foi num Brasileiro e a luta estava bem dura até eu finalizar nas costas. A segunda foi sem kimono, no ADCC, em Abu Dhabi, na disputa pelo terceiro lugar. Eu investi numa guilhotina que estava bem encaixada e ele saiu da área do tatame. Achei que ele ia bater, até que o juiz parou e voltou a luta em pé, e me deu apenas uma vantagem. Depois disso ele entrou nas minhas pernas duas vezes. Eu tentei outras guilhotinas que não funcionaram e então ele pontuou e ganhou a luta”, recordou.

“O Robinho é muito bom, tanto por cima quanto por baixo, e eu também me sinto à vontade nas duas posições. Vou tentar chegar nas minhas posições de finalização e soltar o jogo. O lado positivo para mim é o fato dele soltar o jogo também. Vai ser um lutão”, concluiu.