Leandro Lo rebate desafio de Erberth Santos: “No dia 9 vamos ver quem é quem” June 19 2016

Tetracampeão mundial dono de um gás invejável, Leandro Lo celebra mais uma conquista. Foto: Arquivo GRACIEMAG/2012

Pentacampeão mundial, Leandro Lo aceitou o desafio de Erberth. Foto: Dan Rod

Durante o Belo Horizonte Open de Jiu-Jitsu, em dia das disputas de kimono no último sábado, dia 18, Erberth Santos externou sua vontade de encarar Leandor Lo após bater seu pupilo, Alex “Biloca” Aparecido, na final do superpesado faixa-preta. (Reveja aqui)

O desafio foi feito ali mesmo, ainda dentro do tatame, e Lo se manteve olhando para o jovem vice-campeão mundial absoluto.

“Eu sempre sonhei em lutar com meus ídolos e nos últimos tempos eu tenho feito isso. O Leandro Lo é um desses ídolos que me inspiraram, e o que eu fiz foi um “desafio” (eu falei “te vejo na Copa Podio”) porque vamos lutar no dia 9, no evento. Desculpe se ofendi alguém, mas eu estou amarradão que esta luta aconteça e eu acho que todos os fãs do Jiu-Jitsu também estão aguardando”, explicou Erberth em suas redes sociais.

Leandro, até então em silêncio, conversou com GRACIEMAG sobre o ocorrido. Com a voz rouca após um sábado inteiro de gritos para seus companheiros de Ns Brotherhood, o cinco vezes campeão mundial comentou o desafio e ainda lembrou alguns trechos de sua campanha mais recente na Pirâmide de Long Beach. Confira!

GRACIEMAG.com: Como você recebeu esse desafio do Erberth Santos? Ele tinha acabado de vencer um aluno seu e logo em seguida direcionou a você na expectativa de te encarar na Copa Podio. O que você tem a dizer?

Leandro Lo: Eu não gosto de falar, eu sou um lutador e eu prefiro lutar. Tem dez caras lá e nós vamos sair na porrada no dia 9. Vamos ver no dia quem é quem.

Falando de Mundial, como foi para você ser campeão mundial pelo quinta vez, ao bater o Rômulo Barral na final, e ainda ter a faixa-preta do craque amarrada na sua cintura?

Eu não sabi que ele ia aposentar. Foi uma honra ele amarrar a faixa em mim. O cara sempre foi meu ídolo e ainda é, muito sangue bom e uma lenda no esporte. Foi ótimo fazer parte disso. Ele estava, eu percebi. A joelho esquerdo não estava bom, ele não conseguiu usar a perna direito. Mas foi show demais. Vai ficar marcado para o resto da minha vida.

Além da final com o Romulo, tem outra luta que você destaque na sua campanha no Mundial?

Acho que a luta mais complicada foi com o Keenan Cornelius, no absoluto. Eu esperava ele de um jeito e ele veio muito diferente. Ele estava bem justo nas posições, muito mais atento do que das outras vezes. Eu sai meio morto dessa luta.