Exclusivo: Talita Treta encara Marloes Coenen de olho em cinturão do Bellator September 23 2016

Talita Treta encara ex-campeã de MMA no Bellator. Foto: Welington Borges

Talita Treta encara ex-campeã de MMA no Bellator. Foto: Welington Borges

Campeã mundial de Jiu-Jitsu na faixa-preta, Talita “Treta” Nogueira está pronta para alçar vôos maiores em sua carreira no MMA. Invicta com seis sucessos nos cages, a atleta, que se mantém ativa nas competições de pano, já tem data e adversária definidas para sua estreia no Bellator, evento americano de MMA e principal concorrente do UFC.

Em conversa exclusiva com GRACIEMAG, Talita falou que terá pela frente a ex-campeã do Strikeforce Marloes Coenen, no Bellator 163, no dia 4 de novembro, em Connecticut, nos EUA. O duelo, válido pela divisão peso-pena, poderá colocar Treta em disputa direta pelo cinturão, caso bata Coenen.

Confira abaixo o papo com a casca-grossa:

GRACIEMAG.com: Como você recebeu a notícia da sua estreia, ainda mais contra uma adversária tão experiente como a Marloes?

Talita Treta: Foi tranquilo. Recebemos a proposta há um mês. Meu empresário me contatou e perguntou o que eu achava. A proposta foi muito boa, e nós aceitamos a luta. Se eu vencer o duelo vou lutar pelo cinturão, então não podíamos recusar esta oportunidade. Não houve pressão pelo nome da adversária. Rechaço isso com muitos treinos para chegar confiante na luta.

E como está a preparação? Muito Jiu-Jitsu ou puxou mais para a parte em pé?

Minha preparação de Jiu-Jitsu eu faço na Vila da Luta, do prof. Demian Maia, em São Paulo, que na minha opinião é a melhor academia para treinar chão para o MMA. Mas hoje eu estou em Curitiba, na Killer Bees afiando a minha trocação. A minha parte em pé é minha maior preocupação, e o pessoal daqui está me dando todo suporte. O Rodrigo Vidal e o Ricardo Leite estão fazendo milagres! Estou cada dia mais preparada.

Então o foco é surpreender no cage com uma trocação afiada?

Assim, o meu jogo é no Jiu-Jitsu. Minha estratégia é focada para levar para o chão e finalizar, mas quero estar confiante em tudo e ter algumas armas para surpreender. A Marloes é uma atleta boa de chão, com 17 finalizações na carreira, mas se ela quiser fazer esse jogo comigo será bem-vinda.

Você vem de seis vitórias e tem pela frente o maior desafio da carreira, como lidar com a pressão da estreia no Bellator e se manter com a cabeça no lugar?

Eu sempre conquistei tudo na minha vida treinando e competindo com amor , sempre dando meu melhor. Lá em cima tudo pode acontecer. Eu vou lutar com uma menina de muita história e respeito demais isso, mas tenho minhas armas e vou confiar nelas. Todo lutador ganha e perde. Eu quero muito vencer, muito mesmo, mas não posso esquecer que tem uma pessoa do outro lado que quer o mesmo. Quero chegar lá com o sorriso no rosto e me divertir.

Talita ao lado dos companheiros de treino Ricardo Leite, João Piccirillo, Rodrigo Vidal e Paulo Cézar "Bandido". Foto: Arquivo Pessoal

Talita ao lado dos companheiros de treino Ricardo Leite, João Piccirillo, Rodrigo Vidal e Paulo Cézar “Bandido”. Foto: Arquivo Pessoal