Judoca brasileira derrota líderes do ranking e conquista 1º ouro no ano February 22 2016

Maria Suelen Altheman foi campeã no Grand Prix de Dusseldorf. Foto: IJF/Divulgação

Maria Suelen Altheman foi campeã no Grand Prix de Dusseldorf. Foto: IJF/Divulgação

Em dia perfeito, a peso pesado brasileira Maria Suelen Altheman subiu no lugar mais alto do pódio no Grand Prix de Dusseldorf, na Alemanha, nesse domingo, 21 de fevereiro. Para alcançar seu primeiro ouro no ano olímpico, a judoca não tomou conhecimento das “muralhas chinesas” – Sisi Ma, na semifinal, e Song Yu, na final, derrotando ambas por ippon. Vitórias maiúsculas sobre as atuais líderes do ranking mundial, e que ainda garantiram mais 300 pontos para a brasileira na corrida por uma vaga olímpica.

O caminho de Maria Suelen começou com duas vitórias em sequência, por ippon, contra a mongol Javzmaa Odkhuu e a alemã Jasmin Kuelbs. Nas quartas de final, a brasileira conseguiu um yuko contra Lucie Kanning, da França, e avançou às semifinais, para um combate duro contra a vice-líder do ranking mundial, Sisi Ma. Num contragolpe, Suelen conseguiu o ippon e se garantiu na grande final, sua primeira desde que retornou de lesão sofrida na decisão do Mundial de 2014. Na disputa pelo ouro contra Song Yu, atual campeã mundial, a brasileira conseguiu a queda, completou com transição impecável para o solo e imobilizou a chinesa até o ippon.

Além dela, outros três brasileiros lutaram neste domingo, mas não chegaram às disputas por medalha. Tiago Camilo (90kg) venceu a primeira luta por ippon contra Dmitri Gerasimenko, da Sérvia, mas não passou pelo mongol Altanbagana Gantulga e se despediu da competição nas oitavas.

Rafael Buzacarini (100kg) e Rafael Silva (+100kg) também não passaram das oitavas. O meio-pesado venceu Grigori Minaskim, da Estônia, mas não superou o russo Adlan Bisultanov. Baby foi melhor que Yerzhan Shynkeyev, do Cazaquistão, mas foi derrotado pelo cubano Alex Garcia Mendoza por apenas uma punição.

A próxima competição da seleção brasileira de judô será o Aberto Pan-Americano de Lima, no Peru, nos dias 5 e 6 de março.