Rio 2016: judô escala seleção brasileira para o Pan de Cuba April 05 2016

Charles Chibana é um dos escalado para atuar em Cuba. Foto: Divulgação.

Charles Chibana é um dos escalado para atuar em Havana. Foto: Divulgação.

A Confederação Brasileira de Judô divulgou nesta segunda-feira, 04 de abril, os 18 atletas – número máximo permitido pela Federação Internacional de Judô – convocados para representar o Brasil no Campeonato Pan-Americano de Judô, que será realizado de 29 de abril a 1º de maio em Havana, capital de Cuba.

Foram convocados os atletas mais bem ranqueados em cada uma das sete categorias de peso, bem como os melhores segundos colocados (no total de pontos). Tanto no feminino quanto no masculino, a dobra será nas categorias ligeiro e pesado. Os judocas que irão representar o Brasil no Campeonato Pan-Americano são:

Feminino
48kg: Sarah Menezes – Associação Expedito Falcão/FPIJ
48kg: Nathália Brigida – Minas Tênis Clube/FMJ
52kg: Érika Miranda – Minas Tênis Clube/FMJ
57kg: Rafaela Silva – Instituto Reação/FJERJ
63kg: Mariana Silva – Minas Tênis Clube/FMJ
70kg: Maria Portela – Sogipa/FGJ
78kg: Mayra Aguiar – Sogipa/FGJ
+78kg: Maria Suelen Altheman – Associação Rogério Sampaio/FPJudo
+78kg: Rochele Nunes – Sogipa/FGJ

Masculino
60kg: Felipe Kitadai – Sogipa/FGJ
60kg: Eric Takabatake – EC Pinheiros/FPJudo
66kg: Charles Chibana – EC Pinheiros/ FPJudo
73kg: Alex Pombo – Minas Tênis Clube/FMJ
81kg: Victor Penalber – Instituto Reação/FJERJ
90kg: Tiago Camilo – EC Pinheiros/ FPJudo
100kg: Luciano Corrêa – Minas Tênis Clube/FMJ
+100kg: Rafael Silva – EC Pinheiros/ FPJudo
+100kg: David Moura – Instituto Reação/FJERJ

“Assim como será nos Jogos Olímpicos Rio 2016, o principal critério de convocação foi a posição dos atletas no ranking mundial. De qualquer forma, os atletas que não estão nessa disputa ainda terão chances de somar pontos em, pelo menos, duas competições em maio. Se estiverem entre os 16 melhores em suas categorias, ainda poderão disputar o World Masters que também vale como sexta pontuação para o ranking, assim como o Pan”, disse Ney Wilson, gestor de Alto Rendimento da CBJ.”, disse Ney Wilson, gestor de Alto Rendimento da CBJ.

Além do Campeonato Pan-Americano, a seleção disputará o Grand Slam de Baku, no Azerbaijão, de 6 a 8 de maio; e o Grand Prix de Almaty, no Cazaquistão, de 13 a 15 de maio. O World Masters, competição que reúne os 16 melhores atletas de cada categoria de peso, será disputado em Guadalajara, no México, de 27 a 29 de maio.

As seguintes competições contam pontos para o ranking mundial (por ordem da menor para a maior): Grand Prix, Campeonato Pan-Americano, Grand Slam, World Masters, Campeonato Mundial e Jogos Olímpicos. O Grand Prix vale 300 pontos ao campeão, 180 ao vice e 120 aos terceiros colocados. O Pan-Americano distribui 400 pontos para o medalhista de ouro, 240 ao de prata e 160 aos de bronze. O Grand Slam dá 500 pontos ao primeiro colocado, 300 ao segundo e 200 aos terceiros. E, das competições que faltam até os Jogos Olímpicos Rio 2016, o World Masters é o que vale mais: são 700 pontos para o campeão, 420 para o segundo e 280 para os terceiros.

“O planejamento foi feito pensando em dar aos candidatos às vagas olímpicas uma possibilidade de pontuação semelhante, especialmente nesses últimos 12 meses”, completou Ney Wilson.

Na edição de 2015 do Campeonato Pan-Americano, em Edmonton (Canadá), a seleção voltou para casa com o ouro na competição masculina por equipes e a prata na disputa feminina por equipes. Além disso, o país teve o melhor desempenho no individual, com 15 medalhas (oito ouros, seis pratas e um bronze):

Ouro
Felipe Kitadai (60kg)
Alex Pombo (73kg)
Victor Penalber (81kg)
Tiago Camilo (90kg)
David Moura (+100kg)
Sarah Menezes (48kg)
Érika Miranda (52kg)
Mayra Aguiar (78kg)

Prata
Eric Takabatake (60kg)
Luciano Correa (100kg)
Rafael Silva (+100kg)
Rafaela Silva (57kg)
Mariana Silva (63kg)
Rochele Nunes (+78kg)

Bronze
Maria Portela (70kg)

(Fonte: Assessoria de imprensa)